sábado, 29 de abril de 2017

Protejam-se!

A Coreia do Norte está fortemente apostada em iniciar uma guerra com os Estados Unidos, verificados que estão os constantes testes com mísseis balísticos. No entanto, o sucesso destes exercícios é inexistente, o que me deixa bastante preocupado.
Estava bastante mais descansado se os testes estivessem a correr bem, uma vez que tinha a certeza que os mísseis acertavam naquela espécie de farol que o Trump diz que é a sua cabeça. Assim, estou para ver o dia em que isto desata tudo à estalada nuclear e o zarolho que anda a disparar bujardas a partir de Pyongyang fica ainda mais desorientado com o stress bélico. Tenho bastante receio que aponte lá a espingarda norte-coreana para a Golden Gate Bridge e acerte em cheio na Ponte 25 de Abril, que é aquilo que cá temos de mais parecido.

sexta-feira, 21 de abril de 2017

Boas escolhas, Assunção!

Assunção Cristas, líder do CDS-PP e candidata à Câmara Municipal de Lisboa,  tem como objectivo do seu programa eleitoral autárquico acabar com os sem-abrigo na capital.
Resta só saber quais são os métodos que a senhora pretende utilizar. Veja lá, doutora, gás sarin pode indesejavelmente contaminar também as suas amigas tias da Lapa e o uso de caçadeiras a meio da noite faz grande estardalhaço.

quinta-feira, 30 de março de 2017

EmBusto

O busto de Cristiano Ronaldo, colocado no aeroporto que ontem adoptou o seu nome, tem feito as delícias de humoristas, jornalistas, taxistas e peixeiros? Porquê peixeiros? Podia dizer que seria por causa da aparência de pargo mulato com que o rapaz ficou na representação, mas não. É só pelo facto de não me lembrar de mais nenhuma profissão acabada em "ista".
Depois de tanta chacota, o autor da obra defende-se. Emanuel Santos, um conterrâneo de Ronaldo, argumenta que se baseou numa fotografia tirada ao craque e que não teve oportunidade de estar com ele para captar a sua expressão in loco. Pois, pois! E teve azar, Senhor Emanuel. É que foi logo aquela foto em que parecia que a estrela tinha acabado de levar uma sarrafada do Pepe num treino do Real Madrid.
Na mesma entrevista, o escultor madeirense diz que o busto passou por várias fases até se apresentar o produto final. Sim, nota-se perfeitamente que o senhor fala verdade. Passou por várias fases, nomeadamente a passagem pela máquina de lavar a roupa a 60 graus, a permanência no interior do reactor nuclear de Almaraz durante três quartos de hora e o atropelamento por um cilindro em cinco ocasiões distintas.
Já ontem, Emanuel Santos tinha sido interpelado pela comunicação social, na altura da apresentação do seu trabalho. Depois de várias perguntas, o escultor foi confrontado com a questão: «e onde é que podemos ver mais obras da sua autoria»? Confesso que não ouvi a réplica, mas não me admirava que tivesse sido algo deste género: «em vários locais, como, por exemplo, centros de abate de automóveis».

quarta-feira, 22 de março de 2017

Sabes taaaanto!

O presidente do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem, deu origem a uma polémica de dimensões continentais. O ainda Ministro das Finanças holandês disse a um jornal alemão (curiosa coincidência...) que nos países do Sul da Europa «não se pode gastar todo o dinheiro em álcool e mulheres e, de seguida, pedir ajuda».
É uma besta, não haja dúvida. Então este energúmeno não sabe que isto não se diz? É ignorante ao ponto de desconhecer que... a expressão correcta é «não se pode gastar tudo em putas e vinho verde»?!

terça-feira, 21 de março de 2017

IndiGESto

A Procuradoria-Geral da República autorizou o prolongamento das investigações na "Operação Marquês", não existindo agora um prazo para a sua conclusão.
O pedido da equipa do Ministério Público que conduz a investigação é justificado pelo aparecimento de novos indícios de corrupção, que têm surgido com as últimas diligências, fazendo com que as pontas soltas de vários processos acabem por ser atadas.
Realmente, a "Operação Marquês" começou com o Grupo Lena, foi-lhe adicionado o empreendimento de Vale do Lobo, juntou-se-lhe a Caixa Geral de Depósitos, colocou-se-lhe a PT e, por fim, rematou-se com o GES. Umas hortaliças fresquinhas e ficamos com um belo de um cozido à portuguesa, mas em vigarice.

sábado, 18 de março de 2017

O corta-fitas rebelde

Na sua biografia (agora publicada), Jorge Sampaio refere, finalmente, as verdadeiras razões que o levaram a dissolver a Assembleia da República e a convocar novas eleições em 2004: «já estava farto do Santana (Lopes)».
Compreendo, claro. É lixado sair à noite com o bom do Pedrinho. Para além de engatar meia-dúzia de gajas mais depressa que o tempo que o Usain Bolt leva a percorrer os 100 metros planos, o que configura um cenário de concorrência desleal, uma pessoa que caminhe ao seu lado sujeita-se a tomar um banho de brilhantina só com a que é desperdiçada pela sua meia-careca luzidia faustosamente repuxada até ao pescoço.
Gostava tanto de ter o poder que o Sampaio tinha naquela altura. Era tão fixe pôr malta a andar sempre que me fartasse dela. E sabes, Jorginho, eu estava tão fartinho de ti, meu corta-fitas armado em mauzão entre sonos mais longos que os da Bela Adormecida!

quinta-feira, 16 de março de 2017

segunda-feira, 13 de março de 2017

Triângulo furioso

Quem é que vence um conflito entre a Holanda e a Turquia?
A China, que fabrica bandeiras holandesas para serem queimadas pelos turcos.

domingo, 12 de março de 2017

É tudo uma questão de canais

As declarações de Pedro Passos Coelho numa reunião à porta fechada com os deputados do seu partido (na qual, alegadamente, adjectivou António Costa de «vil, soez, reles e ordinário») fizeram aquecer o ambiente nuo último debate quinzenal na Assembleia da República. Tão quente, tão quente que, às tantas, parecia que estávamos em Agosto com 40 graus à sombra, com os inflamados antagonistas a discursarem como se estivessem numa taberna de esquina e depois de terem virado meia grade de "mines".
Ainda assim, tenho que destacar um dos adjectivo que Pedro Passos Coelho escolheu para classificar o primeiro-ministo: soez. Dei voltas à cabeça e... depois fiz um strike com ela! Aahahahah! Fim de história. Foi gira, não foi?
Mentira! Dei voltas à cabeça e cheguei á conclusão que a escolha desta palavra em concreto foi um terrível equívoco por parte do líder da oposição. O que aconteceu foi o seguinte: o homem anda com a cabeça tão cheia com o escândalo das off-shores que baralhou os canais. Ó senhor, não é Suez. É Panamá! Foi para lá que o Secretário de Estado dos Assuntos Fiscais do seu Governo deixou escapar uns largos milhares de milhões de euros por causa... uh... de um erro informático, vejam só!

sexta-feira, 3 de março de 2017

A arte de bem negociar

Foram esta semana homenageados pelo Governo português 52 bombeiros que estiveram duas semanas no Chile a combater fogos florestais. Estes "soldados da paz" fazem parte da Força Especial de Bombeiros (FEB) e foram mobilizados na sequência de um pedido feito pelas autoridades chilenas à União Europeia.
Realmente, quem quiser fazer bons negócios sabe bem onde ir. Nós mandamos-lhes bombeiros para apagar fogos, eles enviam-nos ladrões para nos pôr a arder.

quarta-feira, 1 de março de 2017

Leiam bem, senhores guardas

Tendo em conta os últimos e mediáticos acontecimentos, está a ser distribuído pelos guardas dos estabelecimentos prisionais portugueses um manual de instruções em caso de fuga de reclusos.
Apesar de ser um documento interno, "King" que é "King" tem acesso a tudo e mais qualquer coisa. Por essa razão e por ter um coração ligeiramente mais bondoso que o do Kim Jong-Un, prezados leitores, vou presentear-vos com o conteúdo deste peculiar manual. Reza assim:
- Se for detectada a efectiva fuga de um recluso, deve abrir a boca, encher os pulmões de ar e em seguida gritar bem alto: "alto e pára o baile". Caso o recluso em fuga não obedeça à ordem, deve recorrer de imediato ao kit anti-fuga, que acompanha este manual. Nele encontrará um saco de plástico, que deverá encher rapidamente de ar. Acto contínuo, rebente-o. Isto deverá fazer com que o fugitivo pense que se trate de um tiro, imobilizando-se de imediato. O saco de plástico, à falta das Glock que foram roubadas às nossas forças, será de grande utilidade.
- Depois de imobilizado, o fugitivo deverá ser confrontado com a seguinte pergunta: "Nacionalidade?" Se a resposta for "chilena", deve deixá-lo partir sem mais questões. Com certeza que continuará com a fuga (agora já autorizada) para Espanha. As autoridades espanholas que se amanhem com ele. Dão-nos Almaraz, retribuímos com pequenos Pinochet's.
Se a resposta for "portuguesa", deve retirar do kit amti-fuga a embalagem de presunto fumado que se encontra no seu interior. Em seguida, deve pronunciar a seguinte frase: "É de chaves". Por fim, formule a seguinte pergunta: "Vamos voltar lá para dentro?" Estudos científicos revelam que a taxa de sucesso desta técnica é de 100%, atendendo à miserável restemenga que é servida nos refeitórios das nossas prisões.
E é isto, meus amigos. Infalível, tenho a certeza.

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Trump não explica tudo

And the Oscar goes to... Stone! Stone?! But there isn't any film named Stone. Wait, wait, wait! There is a mistake!! Maybe we get stoned. Yes, that's it!
So, here we go again! The winner is... La La Land!
Oh, no! The same shit again?! Fucking cocaine! Oh, look how beautiful it is! It's the Moonlight! Uh?! Can't you see it? Right there, you awesome flying pink elephants!

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Pô, cara! Não chega, não?!

Luisão, o capitão da equipa de futebol do Sport Lisboa e Benfica, foi homenageado pelo clube da Luz após ter cumprido o 500.º jogo de águia ao peito na terça-feira passada, frente aos alemães do Borussia de Dortmund.
Numa altura em que começa a ganhar força a hipótese do central brasileiro, de 36 anos, prolongar o seu vínculo contratual com os encarnados, os responsáveis benfiquistas pensam já na homenagem ao "Girafa" quando este completar 600 jogos. Será na sala de convívio do lar de idosos mais próximo do Estádio da Luz, com direito a bolinhos de manteiga, chá de camomila e a presença de uma animadora social. Tudo para que Luisão não se sinta fora da realidade da faixa etária que já integra.

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Cetáceos chorões

Um grupo de quatrocentas baleias deu à costa numa praia da Nova Zelândia na semana passada. O local é palco habitual destes terríveis acidentes com os enormes mamíferos e desta feita resultou na morte de trezentos deles.
Os fãs de Adele só suspiraram de alívio na noite de Domingo. Apesar de muito chorosa, a diva britânica apareceu vivinha da silva na gala de atribuição dos Grammy's e até arrebatou cinco galardões.

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Ah, assim está tudo explicado!

A Associação de Futebolistas Profissionais de Inglaterra (PFA( solicitou à Federação Inglesa a proibição da disputa da bola com a cabeça em jogos de sub-10. Com base num estudo da Universidade de Sterling, a PFA defende que os cabeceamentos podem provocar falhas de memória nas 24 horas seguintes ao impacto com a bola, num claro indício que o gesto técnico pode ser prejudicial à saúde dos jovens praticantes.
Faz todo sentido. Aliás, conheço um caso flagrante em que existe uma relação de causa-efeito incontestável. Considerando o exímio cabeceador que foi e o estado em que se encontra agora, Mário Jardel começou cedo a dar-lhe forte com a mona.

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Melhor profissão do mundo: enfardador de broas nos queixos!

Ofereço focinho para ser partido. Pode ser a murro, a pontapé ou até por via de calcamento com botas de biqueira de aço. Convido os interessados a entrarem numa rixa comigo num bar de Ponte de Sôr para assim poderem justificar o bárbaro espancamento a que me submeterão em seguida.
Condições essenciais para o negócio: cuidados especiais para não deixar sequelas, nos quais deve estar incluída a proibição de saltos superiores a 1 metro de altura e posteriores aterragens em cima do meu nariz a pés juntos; Pagamento de todos os cuidados médicos necessários e feitos à posteriori da sova.
Preço: 52 mil euros.
Dou especial atenção a todos os interessados que sejam filhos de embaixadores de países do Médio Oriente ou do Golfo Pérsico e que estejam a frequentar cursos de pilotagem de aviões em Portugal.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Não brinquem com o meu opttimismo

Hoje acordei muito bem-disposto. Levantei-me, espreguicei-me e dirigi-me à janela. Abri os estores e vi que lá fora estava um nevoeiro cerrado. Sorri. Não era problema para mim enfrentar uma manhã fria e desagradável do ponto de vista meteorológico. Virei costas ao rebuliço da rua e preparei-me para começar mais uma jornada de luta. Não o podia fazer, contudo, sem verificar antes que dia do mês é o de hoje.
25 de Janeiro.
Parei. Faltam 1455 dias para o tio Donald ir marrar com os cornos na Trump Tower e deixar de nos azucrinar a cabeça. Depois tomei um Prozac e voltei para a cama.

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

A culpa é do Sporting!

O Serrão de segunda-feira na TVI24 é uma Guerra pegada. Tudo isto porque o José Pina a cabeça a todos aqueles que o ouvem!

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

O futebol em Almada joga-se com qualquer bola

A actualidade é um cavalo de corrida e os temas sobrepõem-se uns aos outros como sacos de ração necessários para alimentar esse animal. É por esta razão que só hoje escrevo sobre o que se passou em Almada com aquele entusiasmado grupo de jovens. Por isso e por causa de um derrame na vista provocado pelas imagens do caso passadas em loop até há coisa de 7 minutos atrás.
Eu penso que se exagerou nas considerações tecidas a respeito da coisa. Para mim, foi tudo demasiado empolado quando se percebe nitidamente que aquilo não foi mais que um terrível engano. É quase criminoso que se diga que se tratou de um espancamento cobarde e vil quando estamos a falar, isso sim, de uma peladinha entre amigos. O problema ali foi o grupo de rapazes, que só queria divertir-se um bocadito, ter confundido a cabeça de um desgraçado com uma bola. Acho que é o único motivo plausível para a quantidade de petardões de força aplicada na cachimona do puto. É que eu já vi derbies entre Benfica e Sporting nos quais houve menos empenho dos jogadores em lances de bola dividida. Mais convencido da teoria da confusão entre a cabeça e a bola fiquei quando ouvi os comentários durante a reprodução do vídeo. Só podia ser futebol quando alguns dos assistentes do desafio tecem as seguintes considerações: «dá mais, dá mais, dá mais!»; «vai lá, vai lá» (incitando os jogadores a aplicarem-se a fundo) e «olha aí!» (na tentativa de alertar um dos intervenientes para o facto de estar a deixar escapar a bola). Estou em crer que estas vozes eram dos treinadores da equipa, que, apesar de ser a feijões, queriam a vitória no jogo. Não é futebol? Como assim, não é futebol? Então eu até ouvi um dos suplentes, mal contendo a vontade de participar no jogo, gritar «eu também quero dar um bico»! Em que outra ocasião se aplica esta expressão que não seja numa futebolada entre amigos? Excluindo a produção de filmes pornográficos em Alfornelos, nenhuma. Há quem diga que o futuro daqueles rapazes não será bonito, mas eu tenho de discordar novamente. Qualquer olheiro de um grande clube percebe que existe ali talento e, desconfio, podemos ter assistido a um momento histórico: a primeira exibição de um novo Eusébio.
Falando um bocadinho mais a sério (mas não muito), aquela escumalhazinha (E aplica-se o diminutivo porque os putos nem idade têm para ser escumalha a sério) devia ter vergonha do que fez. No entanto, não só cometem actos repugnantes como ainda se orgulham deles, ao ponto de colocá-los a circular na Internet. Antigamente, quando eu era criança, uma coisa destas era quase como soltar gás metano pelo ânus (leia-se, dar uma bufa). O cheiro ficava no ar e o infractor pedia a todos os santinhos que ninguém percebesse que tinha sido ele a abrir-se. Agora? Agora é diferente. O artista caga-se com estrondo, sorri, levanta o braço em sinal de orgulho e,se necessário for, ainda exibe as cuecas borradas para que não restem dúvidas sobre a autoria do "feito". Continuem, pá! A polícia agradece essas manifestações de alegria. Fica mais fácil deitar-lhes a unha.

domingo, 8 de janeiro de 2017

A vida e a morte na vidreira

Faleceu Mário Soares. O antigo Primeiro-Ministro e Presidente da República estava em coma há já alguns dias e acabou por sucumbir no dia de ontem no Hospital da Cruz Vermelha, unidade de saúde onde estava internado há quase um mês. Tinha 92 anos e é uma das figuras mais marcantes da democracia portuguesa.
Foram decretados três dias de luto em todo o território nacional e uma bengalada nos cornos aplicada na Marinha Grande.

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

O "King" faz piadas secas e vende-as no mercado

E, de repente, o corpo humano ganhou um novo órgão. O mesentério, que liga o intestino ao abdomen, viu a sua classificação alterada depois de um estudo liderado por um professor da Universidade de Limerick, na Irlanda.
É engraçado que, à medida que o tempo tem avançado, aquilo que tínhamos como certo vai sofrendo mudanças. Reparem: quando andava na escola básica, foi-me ensinado que o Sistema Solar incluía Plutão como planeta, o que, entretanto, deixou de ser factual. Nessa época, também não havia indicação nenhuma sobre este novo órgão. Isto leva-me a crer que, à medida que o relógio progride na sua marcha inexorável, perdemos planetas, mas ganhamos órgãos. A continuarmos assim, daqui a pouco não precisaremos de telescópios e sondas espaciais para explorar outros planetas, mas teremos de ter dois corpos para albergarmos tanto material interno.
Eu não sei como é que vocês vão fazer, mas eu vou ponderar fortemente as minhas opções da próxima vez que necessitar de cuidados de saúde. Com tanto órgão, não sei se recorra a um médico ou a um afinador de instrumentos musicais. Mais: tenho para mim que o mestrado integrado de Medicina não terá a disciplina de Anatomia conduzida por professores, mas sim por maestros.
Hum... Fraquito, não foi? Ninguém compra disto. Vou de fim-de-semana e logo penso noutro negócio.

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

A melhor maneira de começar 2017 é a cagar para 2016

Então, cambadinha? Muitas saudadinhas do tio Lápis? Não, pois não? Então, adeus e até 2023! Ah, queriam! Vão ter mesmo de gramar com o "King" durante a nova época!
Vocês que me seguem (levantem o braço, meia-dúzia de gatos pingados) já se deviam ter interrogado sobre o meu paradeiro blogosférico neste início de ano, dada a ausência de um belo e parvo post por mim escrito. Não tinham? Claro que não! A maior parte de vocês só tirou a cabeça da sarjeta (onde a enfiou na noite de passagem de ano) há coisa de um quarto de hora e as prioridades teriam de ser outras, eu compreendo. Acontece que, mesmo que não queiram saber, eu vou contar-vos o porquê do black-out. Pois bem, aí vai.
Como esta seria a primeira viragem de ano a que o monstro por mim criado ia assistir, acordámos, em segredo, que o projecto só teria continuidade se ambos tivéssemos vontade de aqui voltar depois de cumprirmos um ritual sacrificial na última noite do ano de 2016. Esse ritual consistia no seguinte: largados de para-quedas a exactamente 20 quilómetros de casa, em pontos geográficos diametralmente opostos, eu e o meu blog teríamos de encontrar a direcção correcta para regressarmos ao domicílio. Convém referir que a tarefa seria levada a cabo com recurso a 10€, um jerrycan de 20 litros cheio com groselha 7 e Picos e uma caixa de acendalhas.
Vá-se lá saber como, este fedelho de 9 meses (impressionante a capacidade das crianças de hoje, não é?) chegou ao lar, doce lar na maior das tranquilidades, segundo fontes próximas a todo este sadio processo. Já eu, talhado para a tragédia, agarrei uma intoxicação alimentar no pelo algures entre o quilómetro 7 e 8, no sentido Sul-Norte, que tive necessidade de auto-observar-me da tonalidade dos felinos para regressar à minha habitação. Ora como os dias seguintes à aventura têm sido passados com uma torneira entre o nalgueiro e outra à saída da boca, este menino, que é muito bom para escuteiro mas que não passa de um analfabeto inapto para se auto-escrever, manteve-se inactivo.
E foi isto, meus amigos! Vamos continuar a ter blog no novo ano, mas antes teve de haver muita merda pelo caminho! Hã?! Não acreditam? Perguntem ao Pinóquio e peçam-lhe que vos deseje um bom ano de 2017! Eu? Amuei!