segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Pot-pourri de parvoíce meteorológica

Eh, lá! Isto é que vai para aqui uma ventania, hã? Tenho a dizer que, para vos escrever, tive de me agarrar às pás de uma ventoinha eólica, a única estrutura capaz de aguentar com este bicho. De maneiras que não devem estranhar se este post for ligeiramente mais turbulento que o habitual.
Há coisas que me inquietam nesta altura em relação a esta tempestade e para as quais gostava de obter algumas respostas. A primeira é esta: quem é que teve a parva ideia de atribuir o nome de uma pessoa à dita cuja? É que toda a gente aceita isto de bom grado sem levantar uma objecção que seja enquanto eu tenho de ouvir, amiudadamente, a pergunta «porque é que deste um nome de pessoa ao teu cão?». Pior: deram-lhe o nome de Ana. Ora bem, a primeira Ana que me vem à ideia, assim de repente, é a Malhoa. Se queriam que a tempestade fosse catalogada como má logo a partir do nome, se calhar não era mal pensado atribuir-lhe outro que não lembrasse uma senhora que de má não tem nada... uh... ok, esqueçamos o jeito para cantar. De resto, é tudo bom. Por isso, pessoal do Instituto do Mar e da Atmosfera, corrijam o tiro enquanto ainda se fala na intempérie e digam que foram ao Registo Civil mudar-lhe a graça para Alfredina. Ainda que o façam, não posso encerrar este capítulo sobre o nome sem dizer isto: copiar a mania do Centro de Furacões lá do coiso é só estúpido. Da próxima vez que vier aí uma borrasca destas, digam só que vai chover para caraças e fazer muito vento que a malta percebe perfeitamente.
Segunda coisa que me abespinha: o que é que a natureza tem contra si mesma? Sim, a pergunta coloca-se por esta razão: quando há grandes catástrofes em Portugal, as árvores são as que mais levam no pelo. Vem o fogo, queima-as. Vem o vento, espeta-as no chão. O que é que se passa contigo, natureza? Que comportamento auto-destrutivo vem a ser esse? Tens algum trauma recalcado? Se quiseres, liga-me. Sou muito bom como psicoterapeuta.
Depois, temos isto. Há a lamentar uma morte em Marco de Canavezes. Uma senhora na casa dos 40 anos foi atingida por uma árvore (havia de ser por um cometa, não?) quando circulava na EN211. A GNR recolheu a raíz da árvore esta manhã e levou-a para o posto para proceder à sua inspecção.
Não se sabe o que dirá a raíz às autoridades, mas espera-se que se remeta ao silêncio durante a maior parte do tempo de permanência nas instalações da GNR. No máximo, supõe-se que diga que não se aguentou nas canetas e caiu por falta de nutrientes na terra, contrariando os relatos que a davam como alcoolizada na altura do acidente.
Um conselho para finalizar: se querem apanhar a verdadeira culpada, vão atrás da Ana. Segundo as últimas informações, estava em França. Recomenda-se, portanto, a emissão de um mandado de captura europeu para apanhar a gaja. Um ou dois, para o caso do IMA aceitar o repto de lhe mudar o nome para Alfredina...

quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

Era multar a Nintendo!

Então, minhas nabiças de rio? Muito contentinhas ou muito enregeladinhas com este frio escandinavo? Hã? Estamos em Lisboa ou em Oslo? Pois é, pois é. Devem ter saudadinhas da praia. É por essa razão que não vou, nem que me prometam umas pantufinhas daquelas com Pêlo por dentro, contar-vos um episódio que remonta a um saudoso mês de Agosto. Ia lá eu fazer uma coisa dessas e pôr-vos a salivar por calor como eu faço quando vejo um casaquinho do Goucha... Nem pensar! Vou só buscar uma historieta passada no final de um mês de Julho, quando a temperatura do ar devia rondar os 32 graus e a da água os 24, na qual me deleitava a comer um Magnum branco, chamava depois pelo senhor das bolas de Berlim de alfarroba e tinha calçado as minhas Havaianas. Assim está bom, não está? Pronto, não quero cá melindres.
Ora, enquanto eu fazia tudo o que supra-citei, à sombra de um toldo algarvio, ia perscrutando também a vizinhança de circunstância. Á minha direita, um casal de ,meia-idade trocava considerações sobre a actualidade, aproveitando o manancial de informação que o homem tinha entre mãos. Parecendo que não, o Correio da Manhã serve para mais qualquer coisa do que limpar o rabo na ausência de papel higiénico de folha dupla.
Já à esquerda, um magote de gente agitava as areias daquela praia. Não, não há erro nenhum. Agitavam mesmo as areias porque, raios os partam ainda hoje, não paravam sossegados. Novos, velhos, crianças, mancos, carecas ou de panamá na cabeça, nenhuma daquelas almas se aquietou um segundo que fosse. Ás páginas tantas, um dos mais jovens do grupo anunciou:
- Vamos Á água!
Acto contínuo, a velha sentada na cadeira de praia ergue-se num repente (deslocando uma rótula, desconfio eu) e, num tom que insinuava a ingestão de um megafone lá por volta de 1854, dirigiu-se ao miúdo:
- Eeeeeeh! Não vão nada! Ainda estão a fazer a digestão! - avisou, para complementar logo depois com a assustadora informação - Olhem que o Miguel morreu uma vez quando foi ao mar com o comer a fazer a digestão!
O gelado estava já no final e nunca me senti tão satisfeito por fazer chegar um sorvete ao término da sua existência. Se a frase tivesse sido proferida cinco minutos antes, o delicioso Magnum tinha marchado inteiro pelas minhas narinas acima. Esta mania que a malta tem para se agarrar ao mundo dos videojogos já passou há muito dos limites. Chegámos ao ponto, imaginem só, de pensarmos que podemos morrer uma vez sem problema porque ainda temos mais quatro até perdermos o jogo, tipo Super Mario. E os mais velhos, que passam a vida a dizer aos miúdos para não estarem tanto tempo agarrados a telemóveis, consolas e computadores, são os piores de todos!

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

Falta-nos um bocadinho assim, Centeno

Ora bem, já tínhamos o melhor futebolista do mundo, o vencedor em título do Eurofestival, a rainha da pop como habitante, o Web Summit, o Rock in Rio, a maior onda alguma vez surfada, o secretário-geral da ONU e agora também temos o presidente do Ecofin. Até o Passos Coelho vai deixar de ser líder da oposição, vejam bem.
Só falta o Quim Barreiros cortar o bigode e o Cláudio Ramos emigrar para o Botswana para Portugal passar a ser o país mais fixe do mundo.

domingo, 3 de dezembro de 2017

Too late

A semana que terminou foi marcada por falecimentos de pessoas importantes para a vida deste país. Se por um lado perdemos um dos heróis da música e cultura nacionais (prematuramente, todos concordamos), por outro um dos maiores magnatas cá do burgo também "atou as botas".
Belmiro Azevedo, patrão do império empresarial que responde pelo nome de Sonae, deixou esta vida aos 79 anos. Durante vários anos, Belmiro foi o homem mais rico de Portugal e fez negócios em diversas áreas de actividade económica, nas quais foi inegavelmente bem sucedido.
Tarde demais, o homem nascido em Marco de Canavezes (cumprimentos, primo Avelino e comadre Amélia de Jesus) descobriu que não se tinha lançado numa área que entretanto considerou indispensável: a do fabrico de caixões.

quinta-feira, 30 de novembro de 2017

Classe numérica

Como a vossa ansiedade é tanta que já vos fez roer desde a ponta das unhas até aos cotovelos, o mestre do suspense blogosférico vai, por fim, revelar a resposta ao enigma lançado recentemente.
Desde já, quero agradecer o incrível número de palpites recebidos. Zero é um número absolutamente esmagador. Tanto assim é que agora vão sentir o seu peso neste comentário: a vossa ousadia é igual a zerinho e é muito semelhante à de uma irmã carmelita de 86 anos conservada em formol.
Depois deste miminho que não podia deixar de vos conceder, vamos lá à resposta.
O número mais obsceno que existe é o... rufos de tambor... é o... contagem decrescente em 5, 4, 3, 2, 1... é o... pausa para o suspiro antes da revelação... é o... olha, afinal hoje não me apetece. Voltem cá para a semana que eu digo-vos.




Então? Ainda aí estão? Hã?! Tem mesmo que ser hoje? Porquê? Ah, porque querem conservar o que vos resta dos braços. Realmente, se roessem até aos ombros ficavam a parecer um cabide e isso não é giro... Ok, vamos lá então.
O número mais porcalhão que existe é o 1000. Não entendem porquê? Olhem bem para ele e sintam o poder da minha sabedoria: não vêem um pau ao alto e três buracos onde enfiá-lo?
Não fosse o caso de as vossas manápulas já terem ido ao ar e os aplausos seriam mais que muitos, eu já sei. Ainda assim, podem sempre escrever-me qualquer coisa usando a ponta do nariz, como uma galinha a debicar qualquer coisa do chão. Ou então usar a ponta do... pronto, deixem lá estar. Xau aí!

sábado, 25 de novembro de 2017

E esta, hein?

Bicheza virtual, hoje vou dar início a um diferente tipo de formato aqui na baiuca do bocado de madeira atacado pelo caruncho. Iniciar e acabar com ele, claro. Aqui é tudo muito efémero. Vou propor-vos que resolvam uma adivinha. Ready? Cá vai: qual é coisa, qual é ela, que cai no chão e fica amarela? Hã? Ah, desculpem! Esta é muito complexa, têm razão. Vamos lá simplificar.
Qual é o número mais pornográfico e que mais remete para a pinocada por vós conhecido?
Ficarei a aguardar pela resposta certa. O vencedor terá como prémio uma caixa de preservativos Couraça (que até rebenta com a con... ok, vocês perceberam, cambada de pervertidos!), já furados e fora da validade. Sim, Pipoca Mais Doce, esfola-te de inveja. Patrocinadores destes não tens tu!
A resposta será dada num post próximo de vocês. Ou então num anúncio da secção "Relax" do \Correio da Manhã.

quinta-feira, 23 de novembro de 2017

Água? Há até quem a beba!

O humorista António Raminhos confessou numa entrevista ao programa "Alta Definição" (SIC) que sofre de um transtorno obsessivo-compulsivo que o obriga a tomar, por vezes, quatro duches diários.
Estando cada vez mais parecido com o Cristo-Rei, principalmente na barba e na envergadura, julgo que encontrámos o real culpado da falta de água no nosso país.
Jorge Palma também já apontou o dedo acusatório a Raminhos, afirmando que é uma indecência gastar-se água desta forma enquanto ele continua a poupá-la tão exemplarmente. Para justificar o seu juízo de valor, o cantor acrescentou: «eu só tomo um banho por mês e para "limpezas interiores" prefiro outro tipo de líquidos».

quarta-feira, 22 de novembro de 2017

Vistas curtas, barriga cheia

Depois de se saber que Amesterdão foi a cidade escolhida para acolher a Agência Europeia do Medicamento, surge agora a notícia da mudança da sede do Infarmed de Lisboa para o Porto. Rui Moreira, edil portuense, já se congratulou com esta decisão, uma espécie de consolo depois de ver a sua cidade preterida na corrida pela agência europeia, que deixará Londres após a consumação do Brexit.
Mal comparado, Moreira comporta-se como um senhor de meia-idade que vai a um bar de strip ansioso por ver moçoilas em pelota meneando sensualmente as ancas e, lá chegado, acaba satisfeito mesmo constatando que estas só tiram o casaquinho e voltam para dentro. A prova do regozijo está no sorriso estampado no rosto e no pinguinho de esperma ejaculado no slip aos quadrados.

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Estás engripado, estás...

O guarda-redes benfiquista Mile Svilar, uma das novas coqueluches do plantel encarnado, está afastado dos trabalhos da equipa comandada por Rui Vitória por culpa de uma gripe. O seu estado de saúde levou-o, inclusivamente, a falhar o último jogo frente ao Vitória de Setúbal, a contar para a Taça de Portugal, e vai mantê-lo afastado no próximo compromisso do Benfica, frente ao CSKA.
No entanto, e visto que tudo o que envolve o Benfica levanta suspeitas, existem desconfianças quanto à verdadeira origem do afastamento do jovem belga.
Confirmo. Ao que consegui apurar, o rapaz está de castigo por ter roubado um peluche do Marshall, herói da Patrulha Pata,  a um colega de sala do seu infantário. O regresso do miúdo ao trabalho está dependente da devolução do boneco e do correspondente pedido de desculpas.

domingo, 12 de novembro de 2017

Humor negro parte quê?

Pronto, já tinham saudades de uma polemicazita, não tinham? Aquela do Urban já foi há bué, pá! E a de Tancos? Ui, isso já foi há uns... hum, 15 dias! A da legionella já não serve porque já chamuscou o Leitão e tal. E de chamusco em chamusco, os incêndios também já foram porque agora estamos cheios de frio e a malta precisa é de uma canadiana para aquecer o pêlo. Calma, calma! Não é essa canadiana nem é esse pêlo. Vamos lá manter a compostura!
Bem, o que faz aberturas de jornais televisivos no momento é o jantar de despedida da Web Summit, que decorreu no Panteão Nacional.
Eu não tenho grande coisa a dizer sobre este assunto, para ser sincero. Calculo que o barulho provocado pelos habitantes do espaço não tenha incomodado os comensais por aí além. Só espero é que nenhum dos gulosos da trupe do "bater punho" (atenção para não confundirem com outras coisas) não tenha confundido a perna do Eusébio, que lá está há pouco tempo, com pernil que passou demasiado tempo no forno.

sábado, 11 de novembro de 2017

A menina aqui não entra!

Nesta altura, o grande motivo de chalaça nos corredores da Assembleia da República é a afirmação de António Leitão Amaro num dos debates que ocorrem semanalmente nos canais de notícia da televisão para pagantes. Frente a frente com Mariana Mortágua (beijinhos, querida), o deputado do PSD declarou insistentemente que o anterior Governo proibiu a legionella. Leitão Amaro não recuou um milímetro que fosse mesmo com a deputada bloquista a dizer-lhe que era impossível proibir a bactéria.
Eu penso que a Mariana é capaz de ter razão. No entanto, e caso estejamos errados, acho que será bom dizer ao senhor deputado que, a avaliar pelas mortes de 2014 e pelas que se registam agora, a proibição decretada pelo Governo de Passos Coelho (e executada pelos duendes da Lapónia, se calhar) foi pouco eficaz.
Caro Leitão, o senhor enfiou-se numa bela embrulhada... ou num belo forno. Sendo eu uma pessoa infinitamente misericordiosa, vou atirar-lhe esta bóia para ver se ainda se salva. Ora tome lá: visto que a ordem não tem produzido bons resultados, apresente uma proposta no Parlamento na qual inclui a resolução do problema pela mão (e pelo pé, já agora) dos seguranças do Urban. Para além de impedirem a entrada em todo e qualquer espaço onde queira infiltrar-se, ainda há a forte possibilidade de lhe darem uma carga de porrada tão grande que desmotivará qualquer nova tentativa. Se a bicha for preta, então é certinho que não escapa ao "tratamento".

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

Porra, que é feio!

A expressão "preciso do meu sono de beleza" tem ganho grande popularidade nos últimos anos, sendo usada por muita gente para se referir ao período diário de descanso do qual o ser humano necessita para o seu bem-estar.
Se a expressão fosse levada à letra, tínhamos de concluir que o Herrera tem passado uma vida inteira de insónias.

terça-feira, 7 de novembro de 2017

Conceitos ambíguos

Platão perguntou a Sócrates:
- O que é o belo?
Sócrates meditou uns segundos sobre o que haveria de responder. Por fim, disse:
- Não consigo afirmá-lo com certeza tendo em conta o que encontramos nos dias que correm, mas sei que, num futuro longínquo, é algo que incluirá uma habitação luxuosa, com obras de arte no seu interior e nos é emprestada por um amigo.

domingo, 5 de novembro de 2017

Assim és um poeta!

Pedro Passos Coelho tem estado em silêncio nas últimas sessões plenárias da Assembleia da República, entregando as despesas dos debates parlamentares a Hugo Soares, o novo líder da bancada do PSD, e a outros deputados social-democratas. Ainda que se saiba há mais de um mês que Passos Coelho vai deixar a liderança do partido no início do ano, o facto de estar remetido ao silêncio no hemiciclo não deixa de causar alguma estranheza aos comentadores políticos e até às outras bancadas parlamentares.
Dizem as más línguas (nas quais não se inclui a minha, claro está) que o ainda presidente do PSD estava no seu gabinete a ensaiar um discurso que começava com "o orçamento", foi rectificado sete vezes por Maria Luís Albuquerque e, rubro de vergonha, decidiu calar-se para sempre.

quinta-feira, 2 de novembro de 2017

De tão crédulos que são...

A recuperação do material militar roubado em Tancos volta a envolver este caso caricato numa névoa tão densa que mais parece um encontro de rastafarians num bunker. Sabe-se agora que na operação de recuperação não só se conseguiu localizar todo o material roubado como ainda se acrescentou  uma caixa com petardos ao arsenal. Portanto, o Exército ainda lucrou com o roubo.
Esta notícia deixou a Associação de Lesados do BES em autêntico delírio. Os gamados por Ricardo Salgado não só redobraram a esperança em recuperar o dinheiro que investiram em papel comercial do banco como ainda sonham encontrar um bilhete para dar uma volta ao mundo montados no dorso de um unicórnio cor-de-rosa pertencente a um pigmeu da Serra da Lousã.

terça-feira, 31 de outubro de 2017

Prós e contras

Tem ganho terreno na ala conservadora do espectro político britânico a teoria que defende a poluição como causadora do aumento do número de homossexuais e transsexuais, relacionando a diminuição da qualidade da água e do ar com esta alteração nos padrões sociais e sexuais.
Más notícias para os psicólogos e exorcistas, que deixarão de ver as mães desesperadas a entrarem nos seus consultórios e capazes de assaltarem um banco para que os seus meninos e meninas sejam salvos da bichanice. Boas notícias para os fabricantes de máscaras antipoluição e de aparelhos purificadores de água, que vão aumentar exponencialmente as suas vendas. Más notícias para a China, que vai assistir a um crescimento do número de homossexuais proporcional ao aumento da poluição atmosférica naquele país asiático. Boas notícias para Gentil Martins, que tem mais um argumento para poder continuar a dizer que a homossexualidade é uma aberração.

domingo, 29 de outubro de 2017

A pergunta que nunca te farei

Depois da tragédia que se viveu há duas semanas atrás, a confiança de Marcelo Rebelo de Sousa em António Costa e no seu executivo parece ter saído beliscada. Prova disso mesmo é a declaração feita ao país durante o intervalo do jogo a contar para a Liga dos Campeões entre o FC Porto e o Leipzig, período que a maioria dos portugueses utilizou para mictar.
Confrontado insistentemente pela comunicação social com esta nova realidade político-institucional e com uma alegada deslealdade de Belém com São Bento, o primeiro-ministro afirma que tem nervos de aço.
A avaliar pelas afirmações proferidas nos dias seguintes ao fatídico 15 de Outubro, António Costa não só tem nervos de aço como também possui coração de pedra e cérebro de betão armado.
A pergunta que se impõe é esta: que parte do seu corpo é uma viga para poder afirmar que é um verdadeiro arranha-céus de insensibilidade?

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Indecisões independentes

Então, Carlites? Consegues proclamar a independência por aí ou precisas que vá buscar alguém a 1 de Dezembro de 1640 para te ajudar? Desculpa, não percebi. Hã?! Podes repetir, por favor? Ah, vais pensar nisso... Então eu vou só ali a Melbourne beber um café e já volto, ok?

quinta-feira, 26 de outubro de 2017

Deixem bater o Mantorras

Em Portugal, as coisas funcionam deste modo: surge uma notícia relacionada com um certo e determinado tema e, acto contínuo, aparecem vinte idênticas. Ora deixa cá ir à sacola dos temas manhosos para ver se não é assim. Remexe, remexe, remexe e saca o papelito... Que é que temos aqui? Oh, que inopinado! Violência de género!
Depois do caso envolvendo lá o coiso desembargador do tribunal do Porto, surge agora uma notícia em que o adúltero ainda foi agressor. Ou seja "cagou fora do penico" e ainda "deu com o piaçaba" nas ventas de quem lhe ralhou.
Feita a introdução escatológica (que devem ter adorado, certamente), passo a contar o sucedido. Pedro Mantorras,, ex-coxo do Benfica, está a ser acusado de violência doméstica pela mulher, que, alegadamente, apanhou nos queixos daquele que em tempos foi conhecido como "a alegria do povo". O acto de violência foi levado a cabo após a mulher ter confrontado o angolano com a descoberta de uma relação extra-conjugal.
Desta vez, e só para variar, vou fazer o papel de advogado do Diabo. Não pode ser de outra maneira quando tenho na minha posse informações de inegável fidedignidade. O que aconteceu foi o seguinte: Mantorras chegou a casa e foi de imediato acusado pela mulher de lhe andar a colocar umas "orelhas de osso". Até aqui tudo certo. O que foi omitido do relato do episódio foi um pormaior e que nos faz ter compaixão pelo rapaz. A mulher tinha um íman de grande magnetismo numa mão e um desaparafusador na outra. Era assim que planeava vingar-se: atrair Mantorras pelo joelho com o íman e, em seguida, tirar-lhe os parafusos todos à bruta, deixando-o aleijadinho para todo o sempre.
Eu percebo-te, Pedro. Foi em legítima defesa da tua (pouca) integridade física.

terça-feira, 24 de outubro de 2017

Também posso ser juiz? Posso, posso, posso?

Um acórdão do juiz desembargador do Tribunal da Relação do Porto está a incendiar Portugal. Fosse isto dito há semana e meia atrás e já se tinha percebido a origem de mais de 500 focos de incêndio florestal num só dia. Assim, permanecemos na douta ignorância.
Voltando à "vaca fria" (ou quente, dependendo sempre do ponto de vista), o acórdão é referente à pena aplicada a dois homens que agrediram violentamente uma mulher, usando um objecto tão inofensivo como uma moca com pregos. A razão? Ora bem, o enxerto de mocada deve-se ao adultério cometido pela mulher.
Usando o argumento da defesa da honra, Neto de Moura (não confundir com neto de múmia, ainda que isso possa ser uma grande tentação em virtude do atraso civilizacional que o homem possui, que se refere ao Código Penal de 1886 como um documento escrito «ainda não há muito tempo») aplicou pena suspensa aos dois homens (ex-marido e ex-amante da senhora), referindo-se ainda ao adultério como um crime punido com lapidação em algumas sociedades.
Tem razão, senhor doutor. Nessas mesmas sociedades, quem mete a mão onde não deve também fica sem ela. Ora, se cá se aplicasse a mesma pena a quem mexe no que não deve, o senhor ganhava direito a colocar um gancho no lugar da manápula, que já teria ido ao ar. Seria o castigo por ter pegado na caneta para escrever tanta alarvidade num só acórdão, um objecto perigosíssimo quando na posse de um javardo mental e próximo de um garrafão de tinto.

segunda-feira, 23 de outubro de 2017

Discriminando quem merece

A Organização Mundial de Saúde (OMS) revogou a decisão da nomeação de Robert Mugabe, presidente do Zimbabué, para o lugar de embaixador da Boa Vontade da organização. A decisão surge depois da escolha do ditador africano ter sido fortemente contestada pela comunidade internacional.
Felizmente, a OMS emendou a mão a tempo de evitar um escândalo diplomático. Escolheu Marine Le Pen para o lugar que seria de Mugabe.

sábado, 21 de outubro de 2017

Pânico no aeroporto

Já ouviram falar no efeito placebo? Aquele em que algo sugere um benefício à vossa mente e vocês pensam que estão a adquiri-lo automaticamente? Ou seja, a prova provada que estão mais passados dos cornos que o Zé Maria do Big Brother? Sabem? Então, esqueçam. Não vou falar dessa merda porque isso não interessa a ninguém!
Aqui há uns anos, uns valentes, fui despedir-me de uma pessoa ao aeroporto. Cheguei cedo, talvez uma hora antes do embarque. Gosto de chegar antecipadamente aos locais para não ser surpreendido por nenhuma conspiração das estrelas para me virar os planos do avesso. Temperatura agradável, um bonito dia de sol em Lisboa, manhã relativamente tranquila naquela zona da cidade. Portanto, tudo para correr bem, certo? Errado! Estamos a falar de mim, é preciso lembrar?
Acabadinho de assentar os cascos nas imediações da infraestrutura aeroportuária, permaneço um bom bocado a apreciar a azáfama de uma das grandes portas de entrada na capital: turistas, taxistas, movimento intenso de carros, o normal. Por ali estava, já a ganhar raízes, quando o telemóvel tocou:
- 'Tou? Então? Onde estás?
- Estou aqui fora, à espera.
Hum, então estás aqui fora? Mas não te vi chegar... Devia estar distraído, não importa. Não deves estar longe de mim, digo eu. Começo a rodar o pescoço para a esquerda e para a direita, tipo radar. Não a via. Mau, temos bonecos!
- Cá fora? Mas não te estou a ver.
- Então mas estás onde?
- Estou cá fora também...
- Então não podes estar no mesmo sítio que eu!
Oh, a rapariga está parva! Como é que não estávamos no mesmo sítio? Então isto não é o Aeroporto de Lisboa? Então não estamos cá fora? Então isto não está cheio de taxistas desejosos de chupar uns euros a mais aos camones para estourar no Intendente esta noite? Que raio de conclusão vinha a ser aquela? Teimoso como um burro como consigo ser, insisti:
- Então não estamos? Temos que estar! Não estás cá em baixo?
A resposta do outro lado da linha quase me arrancou o nariz de tão violenta que foi:
- Cá em baixo onde? Eu estou é cá em cima!
Todos já passámos por isto pelo menos uma vez na vida. Aquela sensação do "eish!, está tudo fodido a partir deste momento!". Porque é que ninguém me avisou que existia uma plataforma para embarcar e outra para desembarcar e que elas não se encontram uma ao lado da outra? Olha que merda, não tenho de saber tudo! Passo aqui todos os dias, mas nunca parei, também não trabalho aqui e não penso em atacar esta porcaria à bomba para lhe conhecer todos os cantos. Tentei mostrar-me o mais calmo que conseguia perante a adversidade. Estava num local desconhecido, provavelmente bastante longe da pessoa de quem me vinha despedir e o tempo começava a pressionar-me. Basicamente, tudo engatado. Mas gajo que é gajo nunca se encolhe e vai à procura da solução, nem que seja preciso inventá-la.
- Aí em cima? Então espera aí que eu não tardo a chegar!
botão de desligar a chamada pressionado, telemóvel no bolso para não me chateares mais a marmita até eu chegar e vá de me pôr a andar em passo apressado na direcção que me parecia a correcta. Vocês já estão a pensar: enganou-se, claro! E depois riem-se muito e gozam comigo. Mas agora quem goza com vocês por terem a mania que são espertalhões sou eu! Não estava nada enganado! Tinha que seguir pela direita e foi pela direita que fui! Percebi que era o único caminho que podia percorrer se não queria voltar para casa a pé. À medida que ia avançando ia igualmente tentando vislumbrar um acesso que me permitisse atingir o patamar cimeiro. Umas escadas, um elevador, um teleférico, uma cabine de teletransporte, uma merda qualquer! Eu quero é chegar lá a cima e depressa, senão a rapariga vai-se embora no avião e eu não a vejo! Mas nada, não via nada!
A esta altura já o Sol estava encoberto por nuvens cinzentas. Estava montado o cenário perfeito para mais um momento de desgraça na minha vida. Prestes a assumir a humilhante derrota, pus a mão ao bolso para retirar o telemóvel e fazer a chamada que não tinha coragem de fazer. O tempo estava a esgotar-se e não havia forma de dar volta à situação. Tinha de lhe dizer que partisse, que eu era um banana e que não via forma de contornar a situação.
É nessa altura que surge à minha frente um homem vindo sabe Deus (no caso de existir) de onde. Não sei qual é a aparência dos anjos (no caso de existirem), mas naquela altura tinha a certeza que era a de um homem franzino de meia-idade.
- Olhe, desculpe! Como é que eu chego ao balcão das partidas?
O homem apontou com o polegar para trás das costas:
- É só subir estas escadas e depois virar à sua direita. São mais ou menos trezentos metros a partir daí.
Olhei por cima do ombro do senhor, queixo caído. Estavam ali umas escadas? Tinha-me esquecido de desligar o "toupeira mode", é evidente. Agradeci ao homem, já que tinha acabado de me salvar a vida... ou começado a destrui-la...
Pausa dramática na narrativa. Já ouviram falar no efeito borboleta? Aquela teoria que defende a interligação à escala universal, onde um bater de asas de uma borboleta aqui desencadeia uma tempestade monstra na China? Vá, burricos, não tenham medo de assumir a vossa fraqueza cultural e preparem-se para uma demonstração prática desta teoria!
Galgo a escadaria de dois em dois, viro à direita quando chego ao final e largo a correr à maluca, passada larga, estilo Usain Bolt, mas em branco, numa corrida para a glória. Tinha percorrido os primeiros cem metros quando aconteceu. Vindo sabe o raio que o parta de onde, surge um carrinho de transporte de bagagens mesmo à minha frente. Aquele filho da puta era o Chucky dos carrinhos de bagagens, juro-vos! Ganhou vida e atravessou-se à minha frente para me tramar. Vi-o a tempo de não tropeçar nele e voar dez metros em frente, mas não consegui evitar pôr-lhe um pé em cima. Nao voei dez metros para a frente, mas voei dois para o lado direito. Palhaçada das grandes, digna de figurar nos tralhos do ano em Portugal. Aterro em cima da minha anca direita e sinto uma dor que facilmente entregaria ao melhor dos meus amigos. Sim, porque coisas destas são oportunidades maravilhosas para demonstrarmos o quão altruístas conseguimos ser.
Ponho-me em pé sem soltar um ai que fosse e olho para a perna. Hum, partida não estás. Senão, estavas mais empenada que a do Roberto Carlos. Siga o Baile! Faltam duzentos metros e ninguém viu!
Reinicio a corrida, agora num estilo Mantorras, e começo a ver a entrada da plataforma das partidas. Lá estava ela, a ver-me correr que nem um louco (um louco coxo) e com um ar de quem estava com vontade de encarar comigo a murro. Diplomático como sou, comecei a sorrir pouco antes de chegar perto dela e limitei-me a dizer:
- Porra, quase que não chegava cá, hã?
Abracei-a e ficámos ali por uns momentos. Senti então um dedo tocar-me no ombro. Desfaço o abraço e volto-me para ver o que se passava. Tinha agora à minha frente um agente da PSP com ar de poucos amigos a medir-me de alto a baixo:
- Então você atirou um carrinho contra a lateral de um autocarro e fugiu?
Afinal alguém tinha visto o malho olímpico e, sim, sim, o Chucky-trolley, aquele cabrão, ainda não estava contente por me ter feito dar três piruetas no ar e quase deixar-me aleijadinho. Pela explicação do polícia, aquele corno tinha saído desembestado debaixo do meu pé é e ido espetar-se no autocarro ali parado. Expliquei-lhe que vinha atrasado e que continuei a correr sem querer saber de mais nada, mas que assumia a responsabilidade do sucedido. O homem viu sinceridade na minha cara de parvo e deu-me instruções para permanecer ali, pois teria de ser identificado se o autocarro tivesse algum dano.
Efeito borboleta, remember? Quanto custaria a brincadeira de ter pisado aquela alma danada de ferro e rodinhas? Já me via a limpar sarjetas como trabalho comunitário quando o agente voltou e disse que, para minha sorte, não havia nenhuma amolgadela na chapa robusta do autocarro.
- Teve sorte. Se fosse um carro...
Se fosse um carro, não, homem! Foi mesmo um carro! Ou melhor uma amostra de carro frustrado por não ser mais do que isso! Daquela espécie de bicho que só anda aí para dar cabo dos cornos às pessoas! Era isso que ele era!
Dali a pouco tive de me despedir da jovem. Partiu, com a noção plena que deixava para trás um cromo que colecionava episódios embaraçosos na vida, como aqueles colecionadores que nunca se cansam de ter mais e mais Mont Blanc, mais e mais Ferrari ou mais e mais... carrinhos de transporte de bagagens.

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Investigação profissional

À hora a que vos escrevo, a Polícia Judiciária está a fazer buscas no Estádio da Luz e em casa de Pedro Guerra no âmbito do caso dos e-mails. Em causa está um alegado esquema de corrupção que supostamente beneficiou o Benfica nos últimos anos.
Estando a mexer em computadores e, por conseguinte, a probabilidade de lerem isto ser altíssima, quero dar-vos um conselho, senhores inspectores: procurem bem atrás das orelhas do Luís Filipe Vieira e no umbigo do Pedro Guerra. São locais capazes de albergar uns três portáteis, doze discos externos e para aí umas quarenta e duas pens com as provas que tanto anseiam encontrar.

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Já pode ir, minha senhora!

Constança Urbano de Sousa apresentou finalmente a demissão. A ministra da Administração Interna, cujo mandato ficará irremediavelmente manchado pelas mais de cem mortes registadas em incêndios florestais neste ano, terá chegado à inevitável conclusão de que não tinha condições para continuar a exercer funções e António Costa aceitou o pedido de demissão.
Poderá, por fim, ter as férias que não teve durante o Verão. Segundo consegui apurar, a ministra demissionária quererá ir para um lugar onde ninguém a encontre e onde possa assim evitar ser incomodada por interpelações indesejadas.
Para conseguir esse desiderato, já entrou em contacto com o SIRESP. Constança espera conseguir obter a informação sobre o local para onde este se desloca de quando em vez sem deixar rasto e no qual permanece incontactável. Segundo se sabe, SIRESP voltou a deslocar-se para este local desconhecido no último domingo.

terça-feira, 17 de outubro de 2017

Que não lhe falte nada, minha senhora!

Perante nova desgraça humana provocada pelos incêndios florestais, a pressão sobre o Governo aumenta a cada dia que passa. No "olho do furacão" está Constança Urbano de Sousa, a ministra da Administração Interna, a quem são atribuídas responsabilidades directas ou indirectas nos erros ao combate aos incêndios, que resultaram em mais de 100 mortos e numa área ardida que deve tornar-se record.
Os pedidos de demissão da ministra intensificaram-se e choveram de todas as partes após esta ter declarado que seria muito mais fácil desistir agora e ter as férias que não teve neste Verão do que continuar no lugar para o qual foi escolhida por António Costa.
Ao ouvirem estas declarações, os responsáveis pela gestão da praia fluvial de Castanheira de Pêra ofereceram uma estadia de uma semana com direito a uma espreguiçadeira de pregos e bar aberto, anunciando ainda que querem muito que prove uma bebida caseira feita à base de amoníaco e ácido muriático.

domingo, 15 de outubro de 2017

Hã'!

O furacão Ophelia, ao contrário do que estava anunciado, passou ao largo do arquipélago dos Açores. De categoria 3, o furacão de nome bastante feio para menina não fez os estragos que estavam previstos nas ilhas do Atlântico, seguindo agora para a Irlanda.
Não sei se será pelo nome, mas Ophelia parece aquelas gajas que prometem noites loucas de desassossego, mas arranjam sempre uma desculpa em cima da hora.
Em sua defesa, Ophelia disse: «Estava perdida em pleno oceano e contactei as autoridades açorianas para retomar a rota certa. Responderam-me qualquer coisa como "vire à diruete, depois suiga, suiga, suiga durante duzuentas milhes e...". Não percebi nada«.

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

"Gangsta in paradise"

Com quatro anos de investigação, quase três depois da detenção do principal arguido e após dez gestações completas de uma vaca arouquesa, eis que está finalmente deduzida a acusação na "Operação Marquês". O Ministério Público aponta José Sócrates como culpado da prática de um total de 31 crimes, entre corrupção passiva, branqueamento de capitais, peculato e fraude fiscal. Mas como o antigo primeiro-ministro nunca foi um homem só, está acompanhado neste processo por rapazinhos de semelhante e impoluta reputação. Ricardo Salgado, Zeinal Bava, Henrique Granadeiro, Armando Vara ou Carlos Santos Silva (Ou "Piloto", tal é a amizade que Sócrates lhe tem) são outros do acusados neste megaprocesso judicial.
Apesar de ainda estarmos longe do epílogo deste remake do clássico "Ali Babá e os 40 Ladrões", a maioria dos portugueses já condenou os acusados, não contemplando sequer a possibilidade de estes estarem inocentes.
No entanto, eu consegui descobrir alguém capaz de fazer a defesa destes senhores. Para isso, tive de contratar um médium, a quem ofereci um garrafão de tinto antes da consulta e dois de jeropiga para depois do trabalho. Só assim foi possível falar com Al Capone, que dirigiu as seguintes palavras a Sócrates e seus compinchas: «All together now, fellows».

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Está no papo!

A liderança do PSD está em disputa desde a derrocada eleitoral dos sociais-democratas nas autárquicas do dia 1 de Outubro. Os resultados conduziram Passos Coelho à saída pela porta para anões encolhidos pela vergonha e de lá para cá muitos têm sido os hipotéticos candidatos aventados para a sua sucessão no maior partido da oposição. Até a esta hora, estão realmente confirmadas as candidaturas de Rui Rio e Pedro Santana Lopes.
Santana Lopes candidata-se pela quarta vez, tendo sido derrotado nas três anteriores ocasiões. No entanto, estou em crer que o desfecho será diferente desta vez. Santana Lopes preparou esta candidatura de forma meticulosa ao longo dos últimos anos, ocupando o cargo de Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa.
O ex-primeiro-ministro sabe que será feliz se conseguir a misericórdia dos militantes do PSD, que, julgo eu, acabarão por lhe dar a vitória para não verem outra desgraça "santanica".

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Um pouco mais de generosidade

Maria Vieira, o porta-chaves mais parecido com um neonazi que se esqueceu de ir ao barbeiro, está envolvida em nova polémica. A actriz esteve arredada das redes sociais por culpa de uma infecção renal provocada por uma pedra num rim) e não perdeu a oportunidade para dar uma alfinetada no Bloco de Esquerda e em duas das suas mais mediáticas figuras quando regressou ao Facebook.
Diz a senhora: «Quanto à «pedra» do meu rim (na realidade um pedregulho com 11 milímetros de espessura) prometo guardá-la e a seu tempo tratarei de a oferecer à Catarina Martins e à Mariana Mortágua, para elas a enrolarem com algum tabaco e a fumarem bem fumada, na esperança de esquecerem a mágoa pelo facto do Bloco de Esquerda não ter ganho uma única câmara no país».
Esta querida julga-se muito generosa, mas eu acho-a uma "unhas-de-fome".
Então vai oferecer apenas uma pequenita pedra que mede pouco mais de 1 centímetro quando tem calhaus de muito maior dimensão no lugar do cérebro?

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

Coincidências inseguras

O ataque tresloucado de Steven Paddock, que resultou na morte de 58 pessoas e em mais de 500 feridos num concerto em Las Vegas, continua a ter muitos detalhes por esclarecer. Desconhecem-se os motivos pelo qual o atirador de 64 anos começou a disparar indiscriminadamente sobre a multidão e causa ainda mais estranheza o facto de ter transportado para o quarto de hotel, de onde perpetrou um dos maiores massacres da história dos Estados Unidos, um verdadeiro arsenal de guerra sem que ninguém tivesse dado conta. Entre revólveres, armas automáticas e espingardas de caça, foram encontradas 23 armas no local onde o homem viria a suicidar-se.
Eu não sei como foi possível, mas tenho a suspeita de que a segurança do hotel era feita pela mesma empresa que era responsável pela guarda ao depósito de Tancos. Se uns deixaram sair, outros deixaram entrar.

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Também tenho algo a revelar!

Aníbal Cavaco Silva está a causar polémica com a revelação que fez sobre as eleições autárquicas. Tendo passado o último fim-de-semana na Escócia, para onde se deslocou para estar num casamento, o antigo presidente da República afirmou: «acontece que não votei».
Acontece que fiquei surpreendido. Pensava que votar era um direito dos seres humanos vivos. Desconhecia que também se estendia aos peixes que secam ao sol na Nazaré.

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Grab them by the pussy or shoot him in the head?

O fácil acesso às armas nos Estados Unidos é o principal factor potenciador dos constantes tiroteios no país, dos quais ouvimos frequentes relatos. Não raras vezes, pessoas inocentes são mortalmente atingidas por balas perdidas ou são vítimas de actos homicidas de um qualquer chalupa.
A questão ganha contornos ainda mais dramáticos com a chegada de Donald Trump à Casa Branca, visto que o presidente dos Estados Unidos eleito há quase um ano é apologista do fácil acesso ao armamento civil. Eu cá não sou de intrigas, mas gostava muito que esse menino estivesse presente na próxima troca de tiros que aconteça em solo americano, que não demorará mais de 5 minutos. Tenho a certeza que nenhuma bala se declararia perdida, desorientada ou sem saber o caminho certo. Porquê? Porque todas saberiam exactamente por onde ir e teriam uma vontade louca de atingir o alvo bem definido naquelas pontas de chumbo: aquele farol que Trump diz que é a sua cabeça.

sábado, 23 de setembro de 2017

Crédulo

Um estudo espanhol que tentou concluir se existe uma relação entre a música e a reacção de um feto durante a gestação revela que esta de facto ocorre e é mais intensa se a música for tocada na vagina em vez de ser tocada na barriga da mãe.
É evidente que acredito neste estudo. Ainda mais acredito se me disserem que o estudo foi feito com base na reprodução de música dirigida por um maestro com batuta ou mesmo de uma gaitada.

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

O ladrão musical com antecedentes capilares

Tony Carreira acusado de plágio. É o assunto que está a pôr Portugal em Lvoroço... Ou, pelo menos, aquela parte de Portugal que já perdeu a dentição e pretende que o cantor romântico lhe faça um filho.
O consagrado artista está a ser acusado de plagiar onze canções do repertório de vários cantores estrangeiros e, pelo que ouvimos das canções de uns e de outros, a suspeita tem todo o fundamento, visto que as semelhanças com os sucessos de Tony são mais que evidentes.
Muita gente mostra-se surpreendida com a acusação do Ministério Público, perguntando-se como é possível que o cantor tenha usado assim a obra dos seus colegas de profissão.
Eu não entendo onde é que está o motivo da surpresa. O Tony sempre nos habituou a usar coisas que não são suas. Basta olhar para aquela juba de leão mal amanhada para chegar a essa conclusão.

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Tecnologia hostil

A Apple anunciou o lançamento das novas versões do seu mais famoso e lucrativo produto, o iPhone. O iPhone 8 e o iPhone X são as novas coqueluches da marca da maçã, que apresentam como grande novidade o desbloqueio do ecrã através de reconhecimento facial.
Preocupa-me que estejam a apetrechar estas maquinetas com ferramentas que podem ser muito perniciosas para a autoestima das pessoas. Estou mesmo a ver a Betty Grafstein a pegar no seu potente telemóvel, a olhar para ele, o danado do bicho tecnológico a devolver-lhe o olhar e, no fim, recusar-se a desbloquear por não querer ser usado por tão feia criatura.

sexta-feira, 8 de setembro de 2017

A partida de quem nunca esteve presente

Francisco Assis, o conhecido militante e antigo candidato à liderança do Partido Socialista, anunciou que deixará a política dentro dos próximos dois anos.
Espanta-me que Assis só agora tome esta decisão quando a política já o deixou há tanto tempo. Faz lembrar aquele pessoal que fica preso a uma relação há muito terminada sem perceber que tem de partir para outra.
A bem dizer da verdade, em muitos anos dessa vida, o Chico só esteve bastante acompanhado numa ocasião...

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Não é de agora

O assunto do momento no futebol português é o impedimento de jogar imposto a Adrien, aquele que era o capitão de equipa do Sporting.
Como é do conhecimento geral, o internacional português transferiu-se para o Leicester, mas viu a sua inscrição na Football Association recusada por causa de um atraso de... 14 segundos.
Estas situações são recorrentes no clube de Alvalade. O Sporting contava inscrever mais um título de campeão nacional no seu palmarés em 2003, mas já vai com 14 anos de atraso.

terça-feira, 22 de agosto de 2017

Púdicos

O árbitro Jorge Sousa foi suspenso por três jogos na sequência do processo instaurado pela forma menos própria com que se dirigiu a Vladimir Stojkovic, guarda-redes da equipa B do Sporting, no jogo que opôs os jovens leões ao Real, a contar para a II Liga Portuguesa.
O conhecido humorista Fernando Rocha já comentou este caso insólito, publicando nas redes sociais o vídeo e a seguinte legenda: "podiasereuafalarcomaminhamulherasoitodamanha

domingo, 20 de agosto de 2017

Cuidado com a boca

E este frio estranho que nos tem posto a suar como o Humberto Bernardo na gala dos Globos de Ouro de mil nove e estamos velhos? Pois é, a malta anda um Inverno inteirinho a salivar pelo Verão e quando chegam as temperaturas brutas acima dos 40 graus (que fazem Marrocos parecer um país aprazível em termos climatéricos) fica tudo fartinho delas ao fim de hora e meia, o tempo necessário para fritar um entrecosto com batatas em cima da pança no areal da Costa de Caparica. São estranhos vocês, pá! Nunca estão contentes com nada. Deviam era ter um Trump à cabeceira para vos dar cabo da touca de cada vez que viessem com queixumes!
Nestas alturas, proliferam as notícias de que houve uma corrida desenfreada aos aparelhos de ar condicionados, ventoinhas e seus parentes mais ou menos afastados. As vendas chegam, imaginem só, a duplicar quando se sabe que vamos ter uma onda de calor.
Ora bem, eu não sei como é que é na vossa casa, mas aqui estes bichinhos fantásticos que nos dão um fresquinho porreiro são muito bem tratados e duram imensos anos. O que me leva a esta questão: que raio anda o pessoal a fazer para ter de comprar ventoinhas e aparelhos de ar condicionado todos os anos, pá?!
Eu não quero lançar por aí boatos, mas tenho para mim que anda para aí muito boa gente com dietas demasiado estranhas. Tu queres ver que andam a mamar filtros de ar condicionado, hélices de ventoinha só para ficarem mais magros? Tenham lá cuidado com isso! Podem comer, sim senhora, mas em doses controladas. Não devem fazer uma alimentação apenas à base de ferro.

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Campeões, campeões, nós vamos ser campeões!

O Campeonato do Mundo das Escondidas vai decorrer em Itália, entre os próximos dias 8 e 10 de Setembro. Apesar de parecer coisa de crianças, a modalidade é levada muito a sério pelos graúdos, sendo a prova disputada por cerca de 80 equipas.
Decorrendo numa cidade-fantasma italiana, onde existem inúmeros esconderijos e obstáculos, o Mundial contará com uma equipa portuguesa.
No entanto, e ao contrário do que se pensava inicialmente, a formação nacional não será composta por um grupo de cinco amigos da Benedita.
Com a clara ambição de ganhar e apresentando-se como o principal favorito, Portugal alinhará com Manuel "Palito", Pedro Dias e a figura maior do esconde-esconde português, Joaquim Bitton Matos. O luso-israelita, que se evadiu da prisão de Caxias no início do ano, está mesmo destinado a ser o melhor jogador do torneio.

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Avé em dó

Em Fátima, ontem foi dia de botar a mão ao bolso dos... perdão!, foi dia de receber os emigrantes portugueses que se encontram de férias no seu/nosso país natal.
Relutantes em falar e rezar em português não só por lhes baixar o status quo mas também pelo receio de serem confundidos com residentes em território nacional armados em novos-ricos e assim poderem ser taxados com o "imposto Mortágua", os emigrantes lá foram concedendo entrevistas aos vários órgãos de comunicação social presentes no sagrado local nas línguas dos países que os acolheram
Pouco avisado para os riscos que corria, a excepção foi feita com um miúdo de pouco mais de 10 anos, com enorme percepção daquilo que se estava ali a passar e muito convicto do que estava ali a fazer. A jornalista da RTP de serviço abeirou-se dele acompanhada pelo operador de camera e, de microfone em riste, coloca a seguinte questão ao infante:
- Porque é que estás aqui neste local?
O petiz, num tom de voz que não denunciava qualquer tipo de nervosismo, responde:
- Gosto das canções.
Eu acho muito bem que a criança ali vá por causa da música. O PriestFest (nunca ouviram falar deste?) é um grande festival de Verão, sem dúvida. E mais: demonstra que o rapaz sabia muito bem em que contexto estava inserido.
Identifiquei-me bastante com ele. Eu, quando quero muito, muito, muito rezar, pego no meu terço, visto a minha batina e saio à maluca à procura de um concerto dos Moonspell.

domingo, 13 de agosto de 2017

Depois da tempestade vem a bonança

A vantagem de se viver num lugar onde os sons mais característicos são o chilrear dos passarinhos e os arrotos dos sorvedores de sumo de cevada nos locais onde a sua venda se desenrola a bom ritmo é a de conseguir captar com toda a facilidade qualquer outra manifestação sonora que não seja uma das referidas.
Foi por essa razão que, na tarde de ontem, acompanhei atentamente uma discussão entre um casal meu vizinho no interior da sua residência.
A alterada conversa, com os intervenientes numa acesa troca de argumentos que recrudescia de tom a cada frase proferida, foi ganhando contornos de escândalo aldeão. Adivinhava-se o clímax, apesar de não conseguir descortinar àquela distância que contornos teria. Um prato atirado à parede? A passagem para o patamar da estalada à Pai Natal e da cabeçada à Cais do Sodré? Inspirados pelo Campeonato do Mundo que decorre, a invenção da modalidade "lançamento do cônjuge pela janela"?
Felizmente, não chegámos ao nível da despesa com loiça nem ao da fractura da cervical. O elemento masculino do casal, numa repetição cadenciada e quase harmoniosamente cantada, disse à companheira: 'vai p'ó caralho».
Dali em diante, nada mais do que se passou naquele lar foi dado a conhecer ao imenso mundo para lá das suas paredes. Volvidos cinco minutos, a porta da entrada da habitação abriu-se de rompante, ela e ele a saírem em passo apressado em direcção ao automóvel estacionado na via pública, ele a abrir a porta do condutor, ela a abrir a porta do passageiro da frente, os dois a entrarem na viatura e a deixarem o seu destino seguir nas estradas sabe o Diabo de onde.
Como referi, não tive acesso ao que foi dito após o atirar da épica ordem. Todavia, vou atrever-me a fazer um exercício de adivinhação da conversa que se seguiu e que passo agora a partilhar convosco:
- Não consigo ir sozinha. - disse ela, baixando os olhos para o chão. - Não sei o caminho.
- Não tem problema - respondeu ele de pronto, audivelmente mais calmo - Eu vou contigo e ajudo-te a chegar lá.
- Fazias isso por mim, meu amor? - quis saber ela, deixando o entusiasmo traí-la.
- Claro, querida! O que é que eu não faço por ti? - Sorriu, voltando costas e afastando-se dela - Vou só buscar o mapa e partimos logo depois!

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

terça-feira, 8 de agosto de 2017

Ela (m)ama o Benfica!!

De polémica em polémica, umas mais parvas que outras, assim vai Portugal na "silly-season". A última a incendiar as redes sociais, único lugar onde existe mais área queimada do que nas florestas portuguesas, é a que está relacionada com o fechar do plano no emblema do Benfica... na camisola de uma loira toda enxuta, que escondia um peito proeminente. O episódio aconteceu durante o intervalo da Supertaça, que o Benfica voltou a vencer, e o realizador da transmissão televisiva, que ficou a cargo da RTP, tem sido alvo de fortes críticas.
Eu estou de acordo com aquelas e aqueles que pensam que tudo aquilo é uma grande indecência. De facto, é uma vergonha... que ninguém tenha dito à rapariga para levantar a camisola quando estava a ser filmada!

domingo, 6 de agosto de 2017

Cada um com as suas...

Cristina Ferreira fez revelações íntimas, expondo o seu lado mais atrevido. Na última edição da revista com o seu nome, a apresentadora da TVI falou das suas fantasias sexuais, afirmando que «gostava de ir a um motel» e «experimentar coisas novas».

Ousada, sem dúvida, mas não tanto como os indivíduos que têm como fantasia sexual "dançar a lambada nudista" com a própria Cristina Ferreira. É que amarrotar os lençóis com a rapariga é coisa a atirar para o muito violento, entrando no domínio do masoquismo.
Estou até em crer que quem desejar um envolvimento sexual com esta senhora só pode estar a pensar em contrair lesões permanentes e irreversíveis nos tímpanos. Taras e manias, já dizia o grande poeta Marco Paulo.

sexta-feira, 28 de julho de 2017

Atenção: não deixar passar do plural feminino para o plural masculino

Irá decorrer no próximo dia 16 de Setembro a V Légua Nudista Internacional. Serão cinco quilómetros totalmente percorridos em areia, visto que ligará a Praia do Meco à Praia das Bicas, em Sesimbra.
É fundamental que não se verifiquem quedas entre os participantes, especialmente se estes disputarem a prova separados por curtas distâncias. É que se um atleta desnudado cair e o seu perseguidor tiver a pouca sorte de lhe cair em cima e aterrar com a boca em sítio indevido, provavelmente teremos de mudar o nome da praia onde estará situada a meta...

segunda-feira, 3 de julho de 2017

Flatuante

Salvador Sobral está num momento fulgurante da sua carreira. Aos 27 anos, o vencedor do Eurofestival deste ano tem esgotado salas um pouco por todo o país e terá um Verão bastante agitado.
Na passada noite, o irmão mais novo da também cantora Luísa Sobral actuou perante uma plateia que enchia o Centro Cultural de Belém. Salvador apresentou as canções que compõem o seu álbum de estreia, "Excuse Me", que saiu no ano passado e antecedeu a vitoriosa participação no Eurofestival.
Como é que eu sei tanta coisa sobre o tema? Porque alguém bufou informações a respeito.

sábado, 1 de julho de 2017

Encomenda frágil

Depois da derrota de Portugal frente ao Chile, Cristiano Ronaldo abandonou de imediato os trabalhos da Selecção. Com a concordância de Fernando Santos e da estrutura directiva da Federação Portuguesa de Futebol, o capitão luso foi dispensado para poder ver os filhos recém-nascidos e já não participará no jogo de atribuição dos 3.º e 4.º lugares da Taça das Confederações.
Ao contrário do que faz o comum dos mortais, CR7 não irá à maternidade. Basta-lhe chegar a casa, dirigir-se à garagem e abrir o caixote transportado pela DHL.

quinta-feira, 29 de junho de 2017

Predestinados

João Vale e Azevedo tornou a ser detido. Vá, ponham lá os queixos no sítio. Eu sei que estão só a fazer fita, assim como faz o André Silva quando cai na área.
Desta feita, o ex-presidente do Benfica foi impedido de entrar no Mónaco pelas autoridades do principado por causa de um mandado internacional emitido em 2008.
Depois de ter falhado a reeleição para a presidência do clube da Luz em 2000, a vida do advogado tem sido feita de detenções e libertações, tendo dado entrada em vários estabelecimentos prisionais ao longo da última década e meia.
Vale e Azevedo, arrisco a dizê-lo, está para as prisões deste mundo como a Inês Castel-Branco está para as novelas da SIC ou como o barrote do Nacho Vidal está para as actrizes porno: entra em todas.
Uh... posto isto, adeus e até ao dia em que o Provedor da Blogosfera me der ordem de soltura.

terça-feira, 27 de junho de 2017

Ah, outra vez ao poste!

Já estávamos à espera, não estávamos? Depois do obrigatório luto, o aproveitamento político de uma das maiores tragédias da era democrática portuguesa não teve de esperar muito mais que uma semana para fazer a sua aparição. É quase como o Diabo anunciado por Passos Coelho para Setembro do ano passado, mas com o relógio certinho.
E é mesmo pela mão do Pedrinho que o danado do oportunismo rasteiro deu um ar de sua graça. Então não foi o digníssimo líder da oposição dizer que havia malta a suicidar-se à posteriori do incêndio de Pedrógão Grande por falta de acompanhamento psicológico?
Pois, felizmente, tudo não passou de mais um valente falhanço de baliza aberta por parte de Passos Coelho. É que nem o Castagnos falha tanto como ele, já viram?
Embora os terríveis acontecimentos pudessem potenciar esse risco, a verdade é que muito mais facilmente alguém ganhava vontade para dar um tiro nos cornos a ouvir Passos Coelho a Dizer parvoíces do que por causa da desgraça de Pedrógão Grande.
Não, ninguém pôs termo à vida, senhor. Já o menino tem dado cabo de si próprio aos bocadinhos desde que deixou de governar. Olhe, a cabeça há muito que já se foi e, pelo andar da carruagem, não sobra nada de si muito em breve. Vossa excelência anda a jogar ao "Baleia Azul" às escondidas, quer parecer-me.

sexta-feira, 23 de junho de 2017

Confusões romântico-literárias

O Fernando Namora, mas o Jorge é que é Amado. Já o Outro Fernando nunca teve Pessoa que o amasse, enquanto o Miguel outorga o seu dever de amar.
Então e a capacidade de amar arrebatadoramente afinal de quem é? Ah, Eça é de Queirós!

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Chamem um especialista

No dia de ontem, o Jornal de Notícias contava a história de um empresário, a quem haviam sido requisitadas seis máquinas de rasto para o combate ao incêndio de Pedrógão Grande, que estava a ser impedido pelas autoridades de chegar próximo dos seus trabalhadores e assim levar alguns mantimentos aos extenuados funcionários.
Escrevia então o conhecido jornal na sua edição online o seguinte: «Um empresário a quem foram requisitadas seis máquinas de rastos para a ajuda no combate aos incêndios que lavram no norte do distrito de Leiria está retido há cinco horas na zona da Picha, concelho de Pedrógão Grande, porque as autoridades não o deixam passar para ir levar água e comida aos funcionários».
Eu não sei como é que isto se vai resolver, mas recomendo que se chame um urologista. Parece-me o único tipo de profissional capaz de solucionar o problema, uma vez que é de retenção urinária que estamos a falar.

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Aprendeste umas coisas, mulher!

A cobrir jornalisticamente os terríveis acontecimentos de Pedrógão Grande, Judite de Sousa tem sido alvo de duras críticas por fazer reportagem perto de um corpo carbonizado e apenas tapado com um lençol branco, que o operador de câmera que a acompanhava insistia em filmar.
Concordo que a jornalista da TVI está a merecer cada gotinha de veneno que é atirada na sua direcção. É de um desrespeito imensurável e nada justifica a decisão tomada por uma jornalista da sua craveira e por alguém que viveu o drama da perda de um filho há tão pouco tempo.
No entanto, há uma pergunta que não para de bailar na minha mente. É a seguinte: onde raio terá Judite ganho tanto à-vontade perto de um cadáver? Eu não quero equivocar-me, mas estou em crer que esta "qualidade" foi adquirida ao viver durante tantos anos com Fernando Seara, um verdadeiro morto político.

domingo, 18 de junho de 2017

Aldrabão desde pequenino

Fábio Coentrão, jogador do Real Madrid, vai assinar um contrato de empréstimo de uma época com o Sporting. Ao que tudo indica, é o regresso a Portugal do lateral-esquerdo que foi formado no Rio Ave e representou o Benfica. Foi inclusivamente de águia ao peito que viveu os momentos mais altos da sua carreira até ao momento, tendo jurado por diversas vezes amor eterno ao clube da Luz.
Com esta transferência para o rival do tetra-campeão nacional, Coentrão prova que o seu cartão de Sócio do Benfica é tão válido como a sua carta de condução.
(P.S.: aligeirar um bocadinho o dia que foi tão triste para todos nós. Com a cabeça em Pedrógão Grande)

terça-feira, 13 de junho de 2017

Santos da casa fazem milagres, mas só no que lhes compete

É no dia de Santo António que se conhece a formalização da acusação a Cristiano Ronaldo por fraude fiscal ao Estado espanhol. O que há já algum tempo se suspeitava é agora consubstanciado com números: 15 milhões de euros não declarados entre 2011 e 2014.
Não deixa de se estranhar esta coincidência. Santo António até tem um ponto de afinidade com CR7. O frade é representado com um menino ao colo cujo pai é incógnito, assim como o madeirense apresenta filhos cujas mães ninguém sabe quem são.
No entanto, e olhando para o caso com mais atenção, existem alguns indícios que apontam no sentido de existir algum azedume entre o santo e o astro do futebol. Então não está o careca fartinho de encontrar meninas capazes de contrair matrimónio com o filho da dona Dolores e o rapaz nada? Ora é evidente que a descredibilização da agência matrimonial do Toni se deve ao Ronaldo, claro.
É muito bem feito que não o proteja e o tenha deixado cair precisamente no dia de hoje. Aliás, sendo o santo padroeiro dos casamentos, ninguém pode obrigá-lo a ser o santo padroeiro dos abotoamentos.

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Quem não sabe trabalhar a comunicação...

Quase duas semanas após os trágicos acontecimentos em Manchester, Ariana Grande deu o seu primeiro espectáculo em Portugal. Aparte antes de continuarmos: a Ariana tem tanto de Grande como o Diogo Feio tem de bonito e o José tem de Fidalgo. Ministrada a dose de bullying do dia, prossigamos.
Foi ao final da tarde de ontem e, como seria de esperar, as medidas de segurança foram extremamente apertadas.
A promotora do evento, a Everything is New, teve o cuidado de divulgar antecipadamente uma nota na qual constava uma lista de objectos que não poderiam entrar no MEO Arena e que passo a replicar:
- mochilas, câmaras fotográficas, "selfie sticks" e garrafas;
- "correntes metálicas e qualquer objeto pontiagudo", 'trolleys', "lanternas, laser e powerbanks" e "cadeiras de qualquer tipo";
- caixas e recipientes com comida, bebidas alcoólicas, drogas e seringas, chapéus-de-chuva, qualquer tipo de arma, material explosivo e pirotécnico, e ainda latas e copos.
E o que é que aconteceu? Nada. Rigorosamente nada! Nem uma naifada, nem um tiro para o ar, nem uma pedrita disparada de uma fisga, nem um rebentamento de bombinha de mau cheiro. Nada de nada! Compreenderam, senhores polícias aí de Inglaterra? É escusado continuarem a tentar perceber o que falhou para deixarem um maluco rebentar-se à porta de uma sala de espectáculos. O que vos falta é uma Everything is New, que diz exactamente às pessoas o que não é permitido levar para o interior de um recinto cheio que nem um ovo. Tivesse aquele menino lido com antecedência que não era permitido levar material explosivo e armas e nada daquilo se tinha dado. Aprendam com quem sabe, bifes!

sábado, 10 de junho de 2017

Que é que foi?

Devido à pouca atenção que lhe foi dada pelos media nacionais, acredito que a visita que Madonna fez ao nosso país seja por vós desconhecida e... hã? Ok, já parei com a palhaçada.
Pois é, a "rainha da pop" passou por cá uma bela temporada de férias e foi mais vezes vista em locais públicos no espaço de uma semana do que o "Macaco" nas aulas do ISMAI durante um ano lectivo.
Pelos vistos, a menina gostou tanto de sardinhas assadas e couratos que está danadinha para se mudar de armas e bagagens para cá. Diz-se que andou para aí a ver uns T0's e a escolha pode muito bem recair sobre o Convento da Trindade, em Sintra.
Nada de extraordinário. Pôr a Madonna a tomar conta de um convento seria como pôr a Madre Teresa de Calcutá a gerir o Elefante Branco... ou entregar uma sala de um infantário ao Jorge Ritto... ou mesmo colocar o António Mexia à frente da EDP.

terça-feira, 6 de junho de 2017

quinta-feira, 1 de junho de 2017

O melhor do mundo são as crianças

Hoje é o Dia Mundial da Criança! É dia de festa, de amizade entre os mais pequenitos, de celebrar os direitos conquistados em favor daqueles que serão adultos no futuro. Muito embora este dia tenha sido apanhado pela febre consumista, ainda há quem saiba atribuir-lhe o valor que deve ter e perceber a sua essência.
É o caso de Vasco Palmeirim, António Vitorino e Luís Marques Mendes, que se juntarão esta tarde para um lanchinho de petizes. Haverá sanduíches mistas feitas com pão de forma, Joi de laranja e gelatina de Morango. No final, brincarão alegremente no escorrega e no baloiço do parque infantil.

domingo, 28 de maio de 2017

Conclusões precipitadas

Wolfgang Schauble, ministro das Finanças alemão, referiu-se recentemente ao seu homólogo português, Mário Centeno, como o "Cristiano Ronaldo do Ecofin".
Toda a gente ficou muito entusiasmada com esta comparação, pensando que o alemão estava a tecer grandes elogios ao nosso ministro das Finanças. Toda a gente... menos eu, claro.
Cá para mim, o gajo estava era a dizer que o Centeno se acha "melhor ca todos", que não reconhece a importância dos colegas de equipa no sucesso global e que tem um ego que não se aguenta!

sexta-feira, 26 de maio de 2017

Relação causa-efeito

Um estudo sobre drogas revelou que Portugal é o sexto classificado no ranking dos países onde se fumam mais ganzas entre 5 minutos e uma hora após o acordar dos consumidores.
Portanto, isto quer dizer que os portugueses têm outras prioridades antes de bafarem a real broca. Eu já sabia disso, é claro, e tenho informações complementares para incluir neste estudo. Anotem, se fazem favor.
Os portugueses acordam, ligam de imediato a televisão e sintonizam na CM TV. Estão um quarto de hora com a cabeça enfiada na lixeira de notícias que ali é confundida com jornalismo e depois mudam para o Você na TV! Já sintonizados na estação de Queluz de Baixo, escutam o guinchar de hiena com cólicas que tão bem caracteriza a Cristina Ferreira, período durante o qual os tímpanos conseguem chorar mais do que o Cristiano Ronaldo na gala de atribuição da Bola de Ouro.
Só depois de terminado este ritual sacrificial é que o portuguesito enrola o seu cano e vai fumá-lo com avidez. Pudera! Tem de abstrair-se da realidade.

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Cambiantes

Eu era um português muito feliz quando sentia que isto era tudo MEO, mas vieram os franceses e tornou-se uma grande Altice!

terça-feira, 23 de maio de 2017

Para quê, pá?!

Acho muita piada àquela malta que decide juntar os trapinhos, vive junta uns 15 anos seguidos e depois, vá-se lá saber porquê, contrai matrimónio e faz uma festarola do caraças!
Para mim, isto é como quem se senta a uma mesa de esplanada virada para o mar num dia de calor, pede uma "fresquinha", paga de imediato ao empregado de mesa, dá dois ou três goles na "jola" e depois fica a olhar para a garrafa, deixando o néctar a perder gás e a ficar mole. Só depois de isto ser um facto consumado, o gajo volta a enfiar o sumo de cevada goelas abaixo (não esquecer o pormenor do líquido já estar mais morto que a vida sexual de uma irmã carmelita), para depois arrotar exuberantemente de satisfação e, todo risonho, ainda dar uma gorjeta de 50€ ao garçon.

quinta-feira, 18 de maio de 2017

O hábito não faz um monge, mas classifica uma besta

Assunção Cristas... Não sabem quem é, pois não? Pois, é normal. São raras as aparições da senhora na comunicação social e também nunca se falou dela neste cubículo, não é? Por isso, vou fazer um breve resumo: é aquela donzela que... pfff!, acham mesmo que ia dar-me a esse trabalho? Se quisesse ter um AVC, sim. Desculpem lá, não estou disponível para isso hoje. Falem comigo daqui a uma semana e logo se vê. Bom, adiante!
A senhora, aquando do anúncio do acordo de coligação entre o CDS-PP e o PPM (façam o favor de se ajoelhar perante esta sigla, não podemos faltar ao respeito à realeza...) para a corrida às autárquicas em Lisboa, disse que usa muitas vezes botas e calças para ir aos bairros sociais.
Eu acho que ela faz muito bem. Temos de usar aquilo que nos dá mais jeito em função do contexto em que estamos inseridos. Olhe, doutora, aproveito para lhe dizer que uso um daqueles gorros com tapa-orelhas sempre que começa a falar, estando 5 ou 40 graus centígrados.

terça-feira, 16 de maio de 2017

Já foste ao controlo anti-doping hoje?

Fernando Seara é o candidato do PSD à autarquia de Odivelas. Depois de ter sido presidente da Câmara Municipal de Sintra e ter concorrido à edilidade da capital nas autárquicas de 2013, o político português mais luzidio da testa para cima tenta agora a sua sorte num concelho vizinho de Lisboa.
Para além de querer comandar os destinos do município odivelense, Seara está também apostado em vencer a Volta a Portugal em caravana eleitoral.

sábado, 13 de maio de 2017

Paciência, pirralha!

Então quem é que está aí em dia de comemoração do tetra-campeão, da devoção ao... Salvador (enganei-vos bem, hã?) e da maluqueira em torno daquele senhor de saias que não é o José Castelo Branco e veio do Vaticano? Hum... Pois, não estou a ver ning... Ah, espera está ali um!... Hum, não... Afinal é só o espantalho do jardim para evitar que os pardais me comam os tomates. Ainda assim, vou escrevinhar qualquer coisa para depois do despertar do transe colectivo.
Episódios da vida quotidiana. A minha sobrinha-pirralha continua a surpreender-me a cada dia que passa. Num deles, estava a pes... perdão, a criança muito entretida nos seus afazeres, que incluíam a ordenha de uma ursa de peluche e a dedicada escovadela das crinas de um lobo ibérico de lona, quando, sem aviso, vira-se para mim e dispara:
- Tio Lápis, vou dar um peidoco!
Acto contínuo, começa a espremer-se toda, tipo laranja. O problema é que não deu "caroço#", para sua grande desilusão.
- Oh, não "funxiona"!
Para quem diz que as crianças de hoje em dia já têm tudo, aqui está a prova de que isso não é verdade a ser-lhes esfregada nas ventas. Estou em crer que, com a evolução das espécies, o ser humano nascerá com um pequeno botão ao lado do olho do cu capaz de resolver este problema de exibicionismo fracassado com que a pirralha se depara neste momento. Já não te vai ajudar, minha querida, mas as gerações futuras saberão honrar o teu esforço no presente.

quinta-feira, 11 de maio de 2017

O negócio é para todos, mas nem todos são para o negócio

É todo um frenesim em torno da vinda do Papa a Portugal e do centenário das aparições (ou da trip alucinada dos pastorinhos, dependendo de como lhe quiserem chamar...). Como entenderam que havia ainda um segmento de mercado que o aproveitamento da devoção católica ainda não tinha explorado em condições, alguém teve a brilhante e lucrativa ideia de inventar os pagadores de promessas.
Para quem não conhece o conceito de negócio, o que são pagadores de promessas? São indivíduos que, a troco de quantias a rondar os 2500€, se predispõem a fazer a peregrinação a Fátima, cumprindo assim o que o cliente prometeu. Por outras palavras, há quem pague 2500€ para encher os pés de bolhas a uma maltinha chica-esperta e vigarista.
Não digam a ninguém, mas eu conheço um negócio com moldes similares, mas em barato. E há muita e boa gente que já aderiu. Pagam cem vezes menos e tem a oportunidade de foder partes do corpo que não são os pés...

segunda-feira, 8 de maio de 2017

Cantilenas de escárnio e mal-dizer à Luz

Monotemático. Estou a tornar-me monotemático. Porquê? Porque vou falar de quê? Pois claro, de gajas! Hum?! Não é hábito falar de gajas por aqui? Então vou falar de bola, que é o outro tema que os machos dominam na perfeição para além de... Pois, disso mesmo.
O Benfica apresta-se para chegar ao tetra-campeonato depois da conjugação de resultados deste fim-de-semana. Será o segundo título conquistado em dois possíveis por Rui Vitória, o que faz dele um treinador ganhador e merecedor de todos os elogios. Acontece que, sabe-se lá porquê, o sósia do Roberto Carlos em termos de locomoção ainda não conseguiu gerar consenso entre a massa adepta benfiquista. Querem ouvir esta?
Há umas semanas atrás, quando o Benfica recebeu o FC Porto em casa, regressava eu ao carro quando, a meio do percurso à pata, começo a ouvir um anónimo adepto lampião que seguia na mesma direcção. Apuro os talos e sintonizo na frequência deste belíssimo treinador de bancada com o palito ao canto da boca:
- Epá, isto é sempre a mesma merda com este gajo! Faz sempre as mesmas substituições, a equipa joga pouco e fica satisfeito com empates em casa... E ainda tinha aquela mania de andar sempre a abotoar as calças e a puxá-las para cima! Não, para mim este gajo não serve!
Pois é... O meu camarada tem toda a razão. Realmente, para se ser bom treinador um indivíduo tem de fazer muito mais que ganhar dois campeonatos de empreitada, assim à bruta. Precisa de saber pôr a equipa a jogar à maluca (mesmo que nunca ganhe nada), tem de variar nas substituições ( do tipo pôr o Júlio César a substituir o Salvio e o Rafa a trocar de lugar com o Ederson aos 5 minutos da segunda parte, só para ser engraçado) e saber compor-se na vestimenta. Psht! Que é isso?! Puxar as calças até aos sovacos e usá-las como macacão?! Não serves!
Estive quase para dizer ao indivíduo algo deste género: «Ó senhor, dê lá uma abebiazita. Na altura em que o rapaz tirou o curso de treinador, a Paula Bobone ainda não dava a disciplina de Etiqueta e Boas Maneiras. Essa só foi introduzida no programa curricular depois de perceberem que o JJ não sabia conjugar o verbo fazer na terceira pessoa do singular do pretérito mais-que-perfeito nem conseguia mascar pastilha elástica de boca fechada».
Calei-me, claro. O tempo e os cintos de pele de urso-do-pinhal-de-Leiria que o Vitória começou a usar haveriam de dar-me razão.

sábado, 6 de maio de 2017

Não há nada que não se resolva

Quem gosta de futebol e segue com atenção o fenómeno do desporto-rei em Portugal sabe que um dos grandes problemas existentes era a realização de jogos de futebol na Choupana, zona montanhosa da Madeira onde o Nacional tem o seu recinto desportivo e onde, não raras vezes, a realização de jogos era prejudicada pelo nevoeiro.
Ao fim de muitos e muitos anos, este problema foi finalmente resolvido. O nacional desceu de divisão.

sexta-feira, 5 de maio de 2017

Nós, os ricos, não perdemos hábitos

Donald Trump anunciou ontem que pretende visitar as cidades que são conhecidas como as capitais das três religiões monoteístas mais importantes. Assim, o Presidente norte-americano far-se-á deslocar a Roma, a Meca e a Jerusalém, locais de culto para cristãos, muçulmanos e judeus, respectivamente.
A comunicação social, nunca satisfeita com a informação que lhe é fornecida, tentou saber mais sobre esta iniciativa. Com esse intento, vários órgãos contactaram o agente de viagens de Trump. Não querendo revelar demasiados detalhes, o homem lá foi dizendo que «o senhor Presidente tem vários destinos de eleição. É provável que se desloque em seguida para uma ilha caribenha e termine as suas férias num qualquer país onde existam greens bem cuidados. Sabemos que não resiste a umas boas tacadas, não é verdade?»

quarta-feira, 3 de maio de 2017

Tanto se faz um bom fato como uma boa albarda

Joana Vasconcelos criou mais uma obra de arte deveras peculiar. Desta feita, a famosa artista plástica usou o seu talento para edificar (parece-me o termo certo) um terço com 26 metros, obra que poderá ser vista, claro está, em Fátima. A obra serve para assinalar o centenário das aparições na Cova da Iria.
Para demonstrar que pode criar arte para qualquer organização ou entidade sem que isso represente um conflito de interesses, Joana já informou que está a trabalhar num preservativo gigante com 52 metros de altura, encomenda da Organização Mundial de Saúde. A matéria-prima usada para a concepção desta peça é cola Tesa.

sábado, 29 de abril de 2017

Protejam-se!

A Coreia do Norte está fortemente apostada em iniciar uma guerra com os Estados Unidos, verificados que estão os constantes testes com mísseis balísticos. No entanto, o sucesso destes exercícios é inexistente, o que me deixa bastante preocupado.
Estava bastante mais descansado se os testes estivessem a correr bem, uma vez que tinha a certeza que os mísseis acertavam naquela espécie de farol que o Trump diz que é a sua cabeça. Assim, estou para ver o dia em que isto desata tudo à estalada nuclear e o zarolho que anda a disparar bujardas a partir de Pyongyang fica ainda mais desorientado com o stress bélico. Tenho bastante receio que aponte lá a espingarda norte-coreana para a Golden Gate Bridge e acerte em cheio na Ponte 25 de Abril, que é aquilo que cá temos de mais parecido.

sexta-feira, 21 de abril de 2017

Boas escolhas, Assunção!

Assunção Cristas, líder do CDS-PP e candidata à Câmara Municipal de Lisboa,  tem como objectivo do seu programa eleitoral autárquico acabar com os sem-abrigo na capital.
Resta só saber quais são os métodos que a senhora pretende utilizar. Veja lá, doutora, gás sarin pode indesejavelmente contaminar também as suas amigas tias da Lapa e o uso de caçadeiras a meio da noite faz grande estardalhaço.

quinta-feira, 30 de março de 2017

EmBusto

O busto de Cristiano Ronaldo, colocado no aeroporto que ontem adoptou o seu nome, tem feito as delícias de humoristas, jornalistas, taxistas e peixeiros? Porquê peixeiros? Podia dizer que seria por causa da aparência de pargo mulato com que o rapaz ficou na representação, mas não. É só pelo facto de não me lembrar de mais nenhuma profissão acabada em "ista".
Depois de tanta chacota, o autor da obra defende-se. Emanuel Santos, um conterrâneo de Ronaldo, argumenta que se baseou numa fotografia tirada ao craque e que não teve oportunidade de estar com ele para captar a sua expressão in loco. Pois, pois! E teve azar, Senhor Emanuel. É que foi logo aquela foto em que parecia que a estrela tinha acabado de levar uma sarrafada do Pepe num treino do Real Madrid.
Na mesma entrevista, o escultor madeirense diz que o busto passou por várias fases até se apresentar o produto final. Sim, nota-se perfeitamente que o senhor fala verdade. Passou por várias fases, nomeadamente a passagem pela máquina de lavar a roupa a 60 graus, a permanência no interior do reactor nuclear de Almaraz durante três quartos de hora e o atropelamento por um cilindro em cinco ocasiões distintas.
Já ontem, Emanuel Santos tinha sido interpelado pela comunicação social, na altura da apresentação do seu trabalho. Depois de várias perguntas, o escultor foi confrontado com a questão: «e onde é que podemos ver mais obras da sua autoria»? Confesso que não ouvi a réplica, mas não me admirava que tivesse sido algo deste género: «em vários locais, como, por exemplo, centros de abate de automóveis».

quarta-feira, 22 de março de 2017

Sabes taaaanto!

O presidente do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem, deu origem a uma polémica de dimensões continentais. O ainda Ministro das Finanças holandês disse a um jornal alemão (curiosa coincidência...) que nos países do Sul da Europa «não se pode gastar todo o dinheiro em álcool e mulheres e, de seguida, pedir ajuda».
É uma besta, não haja dúvida. Então este energúmeno não sabe que isto não se diz? É ignorante ao ponto de desconhecer que... a expressão correcta é «não se pode gastar tudo em putas e vinho verde»?!

terça-feira, 21 de março de 2017

IndiGESto

A Procuradoria-Geral da República autorizou o prolongamento das investigações na "Operação Marquês", não existindo agora um prazo para a sua conclusão.
O pedido da equipa do Ministério Público que conduz a investigação é justificado pelo aparecimento de novos indícios de corrupção, que têm surgido com as últimas diligências, fazendo com que as pontas soltas de vários processos acabem por ser atadas.
Realmente, a "Operação Marquês" começou com o Grupo Lena, foi-lhe adicionado o empreendimento de Vale do Lobo, juntou-se-lhe a Caixa Geral de Depósitos, colocou-se-lhe a PT e, por fim, rematou-se com o GES. Umas hortaliças fresquinhas e ficamos com um belo de um cozido à portuguesa, mas em vigarice.

sábado, 18 de março de 2017

O corta-fitas rebelde

Na sua biografia (agora publicada), Jorge Sampaio refere, finalmente, as verdadeiras razões que o levaram a dissolver a Assembleia da República e a convocar novas eleições em 2004: «já estava farto do Santana (Lopes)».
Compreendo, claro. É lixado sair à noite com o bom do Pedrinho. Para além de engatar meia-dúzia de gajas mais depressa que o tempo que o Usain Bolt leva a percorrer os 100 metros planos, o que configura um cenário de concorrência desleal, uma pessoa que caminhe ao seu lado sujeita-se a tomar um banho de brilhantina só com a que é desperdiçada pela sua meia-careca luzidia faustosamente repuxada até ao pescoço.
Gostava tanto de ter o poder que o Sampaio tinha naquela altura. Era tão fixe pôr malta a andar sempre que me fartasse dela. E sabes, Jorginho, eu estava tão fartinho de ti, meu corta-fitas armado em mauzão entre sonos mais longos que os da Bela Adormecida!

quinta-feira, 16 de março de 2017

segunda-feira, 13 de março de 2017

Triângulo furioso

Quem é que vence um conflito entre a Holanda e a Turquia?
A China, que fabrica bandeiras holandesas para serem queimadas pelos turcos.

domingo, 12 de março de 2017

É tudo uma questão de canais

As declarações de Pedro Passos Coelho numa reunião à porta fechada com os deputados do seu partido (na qual, alegadamente, adjectivou António Costa de «vil, soez, reles e ordinário») fizeram aquecer o ambiente nuo último debate quinzenal na Assembleia da República. Tão quente, tão quente que, às tantas, parecia que estávamos em Agosto com 40 graus à sombra, com os inflamados antagonistas a discursarem como se estivessem numa taberna de esquina e depois de terem virado meia grade de "mines".
Ainda assim, tenho que destacar um dos adjectivo que Pedro Passos Coelho escolheu para classificar o primeiro-ministo: soez. Dei voltas à cabeça e... depois fiz um strike com ela! Aahahahah! Fim de história. Foi gira, não foi?
Mentira! Dei voltas à cabeça e cheguei á conclusão que a escolha desta palavra em concreto foi um terrível equívoco por parte do líder da oposição. O que aconteceu foi o seguinte: o homem anda com a cabeça tão cheia com o escândalo das off-shores que baralhou os canais. Ó senhor, não é Suez. É Panamá! Foi para lá que o Secretário de Estado dos Assuntos Fiscais do seu Governo deixou escapar uns largos milhares de milhões de euros por causa... uh... de um erro informático, vejam só!

sexta-feira, 3 de março de 2017

A arte de bem negociar

Foram esta semana homenageados pelo Governo português 52 bombeiros que estiveram duas semanas no Chile a combater fogos florestais. Estes "soldados da paz" fazem parte da Força Especial de Bombeiros (FEB) e foram mobilizados na sequência de um pedido feito pelas autoridades chilenas à União Europeia.
Realmente, quem quiser fazer bons negócios sabe bem onde ir. Nós mandamos-lhes bombeiros para apagar fogos, eles enviam-nos ladrões para nos pôr a arder.

quarta-feira, 1 de março de 2017

Leiam bem, senhores guardas

Tendo em conta os últimos e mediáticos acontecimentos, está a ser distribuído pelos guardas dos estabelecimentos prisionais portugueses um manual de instruções em caso de fuga de reclusos.
Apesar de ser um documento interno, "King" que é "King" tem acesso a tudo e mais qualquer coisa. Por essa razão e por ter um coração ligeiramente mais bondoso que o do Kim Jong-Un, prezados leitores, vou presentear-vos com o conteúdo deste peculiar manual. Reza assim:
- Se for detectada a efectiva fuga de um recluso, deve abrir a boca, encher os pulmões de ar e em seguida gritar bem alto: "alto e pára o baile". Caso o recluso em fuga não obedeça à ordem, deve recorrer de imediato ao kit anti-fuga, que acompanha este manual. Nele encontrará um saco de plástico, que deverá encher rapidamente de ar. Acto contínuo, rebente-o. Isto deverá fazer com que o fugitivo pense que se trate de um tiro, imobilizando-se de imediato. O saco de plástico, à falta das Glock que foram roubadas às nossas forças, será de grande utilidade.
- Depois de imobilizado, o fugitivo deverá ser confrontado com a seguinte pergunta: "Nacionalidade?" Se a resposta for "chilena", deve deixá-lo partir sem mais questões. Com certeza que continuará com a fuga (agora já autorizada) para Espanha. As autoridades espanholas que se amanhem com ele. Dão-nos Almaraz, retribuímos com pequenos Pinochet's.
Se a resposta for "portuguesa", deve retirar do kit amti-fuga a embalagem de presunto fumado que se encontra no seu interior. Em seguida, deve pronunciar a seguinte frase: "É de chaves". Por fim, formule a seguinte pergunta: "Vamos voltar lá para dentro?" Estudos científicos revelam que a taxa de sucesso desta técnica é de 100%, atendendo à miserável restemenga que é servida nos refeitórios das nossas prisões.
E é isto, meus amigos. Infalível, tenho a certeza.

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Trump não explica tudo

And the Oscar goes to... Stone! Stone?! But there isn't any film named Stone. Wait, wait, wait! There is a mistake!! Maybe we get stoned. Yes, that's it!
So, here we go again! The winner is... La La Land!
Oh, no! The same shit again?! Fucking cocaine! Oh, look how beautiful it is! It's the Moonlight! Uh?! Can't you see it? Right there, you awesome flying pink elephants!

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Pô, cara! Não chega, não?!

Luisão, o capitão da equipa de futebol do Sport Lisboa e Benfica, foi homenageado pelo clube da Luz após ter cumprido o 500.º jogo de águia ao peito na terça-feira passada, frente aos alemães do Borussia de Dortmund.
Numa altura em que começa a ganhar força a hipótese do central brasileiro, de 36 anos, prolongar o seu vínculo contratual com os encarnados, os responsáveis benfiquistas pensam já na homenagem ao "Girafa" quando este completar 600 jogos. Será na sala de convívio do lar de idosos mais próximo do Estádio da Luz, com direito a bolinhos de manteiga, chá de camomila e a presença de uma animadora social. Tudo para que Luisão não se sinta fora da realidade da faixa etária que já integra.

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Cetáceos chorões

Um grupo de quatrocentas baleias deu à costa numa praia da Nova Zelândia na semana passada. O local é palco habitual destes terríveis acidentes com os enormes mamíferos e desta feita resultou na morte de trezentos deles.
Os fãs de Adele só suspiraram de alívio na noite de Domingo. Apesar de muito chorosa, a diva britânica apareceu vivinha da silva na gala de atribuição dos Grammy's e até arrebatou cinco galardões.

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Ah, assim está tudo explicado!

A Associação de Futebolistas Profissionais de Inglaterra (PFA( solicitou à Federação Inglesa a proibição da disputa da bola com a cabeça em jogos de sub-10. Com base num estudo da Universidade de Sterling, a PFA defende que os cabeceamentos podem provocar falhas de memória nas 24 horas seguintes ao impacto com a bola, num claro indício que o gesto técnico pode ser prejudicial à saúde dos jovens praticantes.
Faz todo sentido. Aliás, conheço um caso flagrante em que existe uma relação de causa-efeito incontestável. Considerando o exímio cabeceador que foi e o estado em que se encontra agora, Mário Jardel começou cedo a dar-lhe forte com a mona.

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Melhor profissão do mundo: enfardador de broas nos queixos!

Ofereço focinho para ser partido. Pode ser a murro, a pontapé ou até por via de calcamento com botas de biqueira de aço. Convido os interessados a entrarem numa rixa comigo num bar de Ponte de Sôr para assim poderem justificar o bárbaro espancamento a que me submeterão em seguida.
Condições essenciais para o negócio: cuidados especiais para não deixar sequelas, nos quais deve estar incluída a proibição de saltos superiores a 1 metro de altura e posteriores aterragens em cima do meu nariz a pés juntos; Pagamento de todos os cuidados médicos necessários e feitos à posteriori da sova.
Preço: 52 mil euros.
Dou especial atenção a todos os interessados que sejam filhos de embaixadores de países do Médio Oriente ou do Golfo Pérsico e que estejam a frequentar cursos de pilotagem de aviões em Portugal.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Não brinquem com o meu opttimismo

Hoje acordei muito bem-disposto. Levantei-me, espreguicei-me e dirigi-me à janela. Abri os estores e vi que lá fora estava um nevoeiro cerrado. Sorri. Não era problema para mim enfrentar uma manhã fria e desagradável do ponto de vista meteorológico. Virei costas ao rebuliço da rua e preparei-me para começar mais uma jornada de luta. Não o podia fazer, contudo, sem verificar antes que dia do mês é o de hoje.
25 de Janeiro.
Parei. Faltam 1455 dias para o tio Donald ir marrar com os cornos na Trump Tower e deixar de nos azucrinar a cabeça. Depois tomei um Prozac e voltei para a cama.

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

A culpa é do Sporting!

O Serrão de segunda-feira na TVI24 é uma Guerra pegada. Tudo isto porque o José Pina a cabeça a todos aqueles que o ouvem!

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

O futebol em Almada joga-se com qualquer bola

A actualidade é um cavalo de corrida e os temas sobrepõem-se uns aos outros como sacos de ração necessários para alimentar esse animal. É por esta razão que só hoje escrevo sobre o que se passou em Almada com aquele entusiasmado grupo de jovens. Por isso e por causa de um derrame na vista provocado pelas imagens do caso passadas em loop até há coisa de 7 minutos atrás.
Eu penso que se exagerou nas considerações tecidas a respeito da coisa. Para mim, foi tudo demasiado empolado quando se percebe nitidamente que aquilo não foi mais que um terrível engano. É quase criminoso que se diga que se tratou de um espancamento cobarde e vil quando estamos a falar, isso sim, de uma peladinha entre amigos. O problema ali foi o grupo de rapazes, que só queria divertir-se um bocadito, ter confundido a cabeça de um desgraçado com uma bola. Acho que é o único motivo plausível para a quantidade de petardões de força aplicada na cachimona do puto. É que eu já vi derbies entre Benfica e Sporting nos quais houve menos empenho dos jogadores em lances de bola dividida. Mais convencido da teoria da confusão entre a cabeça e a bola fiquei quando ouvi os comentários durante a reprodução do vídeo. Só podia ser futebol quando alguns dos assistentes do desafio tecem as seguintes considerações: «dá mais, dá mais, dá mais!»; «vai lá, vai lá» (incitando os jogadores a aplicarem-se a fundo) e «olha aí!» (na tentativa de alertar um dos intervenientes para o facto de estar a deixar escapar a bola). Estou em crer que estas vozes eram dos treinadores da equipa, que, apesar de ser a feijões, queriam a vitória no jogo. Não é futebol? Como assim, não é futebol? Então eu até ouvi um dos suplentes, mal contendo a vontade de participar no jogo, gritar «eu também quero dar um bico»! Em que outra ocasião se aplica esta expressão que não seja numa futebolada entre amigos? Excluindo a produção de filmes pornográficos em Alfornelos, nenhuma. Há quem diga que o futuro daqueles rapazes não será bonito, mas eu tenho de discordar novamente. Qualquer olheiro de um grande clube percebe que existe ali talento e, desconfio, podemos ter assistido a um momento histórico: a primeira exibição de um novo Eusébio.
Falando um bocadinho mais a sério (mas não muito), aquela escumalhazinha (E aplica-se o diminutivo porque os putos nem idade têm para ser escumalha a sério) devia ter vergonha do que fez. No entanto, não só cometem actos repugnantes como ainda se orgulham deles, ao ponto de colocá-los a circular na Internet. Antigamente, quando eu era criança, uma coisa destas era quase como soltar gás metano pelo ânus (leia-se, dar uma bufa). O cheiro ficava no ar e o infractor pedia a todos os santinhos que ninguém percebesse que tinha sido ele a abrir-se. Agora? Agora é diferente. O artista caga-se com estrondo, sorri, levanta o braço em sinal de orgulho e,se necessário for, ainda exibe as cuecas borradas para que não restem dúvidas sobre a autoria do "feito". Continuem, pá! A polícia agradece essas manifestações de alegria. Fica mais fácil deitar-lhes a unha.

domingo, 8 de janeiro de 2017

A vida e a morte na vidreira

Faleceu Mário Soares. O antigo Primeiro-Ministro e Presidente da República estava em coma há já alguns dias e acabou por sucumbir no dia de ontem no Hospital da Cruz Vermelha, unidade de saúde onde estava internado há quase um mês. Tinha 92 anos e é uma das figuras mais marcantes da democracia portuguesa.
Foram decretados três dias de luto em todo o território nacional e uma bengalada nos cornos aplicada na Marinha Grande.

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

O "King" faz piadas secas e vende-as no mercado

E, de repente, o corpo humano ganhou um novo órgão. O mesentério, que liga o intestino ao abdomen, viu a sua classificação alterada depois de um estudo liderado por um professor da Universidade de Limerick, na Irlanda.
É engraçado que, à medida que o tempo tem avançado, aquilo que tínhamos como certo vai sofrendo mudanças. Reparem: quando andava na escola básica, foi-me ensinado que o Sistema Solar incluía Plutão como planeta, o que, entretanto, deixou de ser factual. Nessa época, também não havia indicação nenhuma sobre este novo órgão. Isto leva-me a crer que, à medida que o relógio progride na sua marcha inexorável, perdemos planetas, mas ganhamos órgãos. A continuarmos assim, daqui a pouco não precisaremos de telescópios e sondas espaciais para explorar outros planetas, mas teremos de ter dois corpos para albergarmos tanto material interno.
Eu não sei como é que vocês vão fazer, mas eu vou ponderar fortemente as minhas opções da próxima vez que necessitar de cuidados de saúde. Com tanto órgão, não sei se recorra a um médico ou a um afinador de instrumentos musicais. Mais: tenho para mim que o mestrado integrado de Medicina não terá a disciplina de Anatomia conduzida por professores, mas sim por maestros.
Hum... Fraquito, não foi? Ninguém compra disto. Vou de fim-de-semana e logo penso noutro negócio.

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

A melhor maneira de começar 2017 é a cagar para 2016

Então, cambadinha? Muitas saudadinhas do tio Lápis? Não, pois não? Então, adeus e até 2023! Ah, queriam! Vão ter mesmo de gramar com o "King" durante a nova época!
Vocês que me seguem (levantem o braço, meia-dúzia de gatos pingados) já se deviam ter interrogado sobre o meu paradeiro blogosférico neste início de ano, dada a ausência de um belo e parvo post por mim escrito. Não tinham? Claro que não! A maior parte de vocês só tirou a cabeça da sarjeta (onde a enfiou na noite de passagem de ano) há coisa de um quarto de hora e as prioridades teriam de ser outras, eu compreendo. Acontece que, mesmo que não queiram saber, eu vou contar-vos o porquê do black-out. Pois bem, aí vai.
Como esta seria a primeira viragem de ano a que o monstro por mim criado ia assistir, acordámos, em segredo, que o projecto só teria continuidade se ambos tivéssemos vontade de aqui voltar depois de cumprirmos um ritual sacrificial na última noite do ano de 2016. Esse ritual consistia no seguinte: largados de para-quedas a exactamente 20 quilómetros de casa, em pontos geográficos diametralmente opostos, eu e o meu blog teríamos de encontrar a direcção correcta para regressarmos ao domicílio. Convém referir que a tarefa seria levada a cabo com recurso a 10€, um jerrycan de 20 litros cheio com groselha 7 e Picos e uma caixa de acendalhas.
Vá-se lá saber como, este fedelho de 9 meses (impressionante a capacidade das crianças de hoje, não é?) chegou ao lar, doce lar na maior das tranquilidades, segundo fontes próximas a todo este sadio processo. Já eu, talhado para a tragédia, agarrei uma intoxicação alimentar no pelo algures entre o quilómetro 7 e 8, no sentido Sul-Norte, que tive necessidade de auto-observar-me da tonalidade dos felinos para regressar à minha habitação. Ora como os dias seguintes à aventura têm sido passados com uma torneira entre o nalgueiro e outra à saída da boca, este menino, que é muito bom para escuteiro mas que não passa de um analfabeto inapto para se auto-escrever, manteve-se inactivo.
E foi isto, meus amigos! Vamos continuar a ter blog no novo ano, mas antes teve de haver muita merda pelo caminho! Hã?! Não acreditam? Perguntem ao Pinóquio e peçam-lhe que vos deseje um bom ano de 2017! Eu? Amuei!