sábado, 4 de maio de 2019

Abram-se as cortinas, o espectáculo continua dentro de momentos...

A Comissão Parlamentar de Educação aprovou, na passada quinta-feira, a contagem integral do tempo de serviço dos professores. Com votos a favor do PSD, Bloco de Esquerda, CDS e PCP, que muitos rotulam de coligação negativa em detrimento de... ai, como é que se chama mesmo?!, ah, sim!, funcionamento em pleno da democracia parlamentar, as reacções do Governo liderado por António Costa não se fizeram esperar.
Alegando que as consequências para as contas do Estado são extremamente gravosas, de tal modo que até obrigariam à elaboração de um orçamento rectificativo, o primeiro-ministro dramatizou o discurso e ameaçou com a demissão do seu executivo caso a iniciativa legislativa seja aprovada na globalidade.
Não digam a ninguém, mas tenho fontes próximas de William Shakespeare que já me contaram, à boca fechada, que o dramaturgo inglês já roeu uma falangeta de inveja e está em permanente desassossego na sua campa. É que "Macbeth" é uma autêntica peça de teatro improvisada para uma festa de final de ano na escola básica quando comparada com a encenação de Costa para inverter a tendência de descida nas sondagens para as eleições europeias.

sábado, 27 de abril de 2019

Não têm vergonha de cantar coisas destas?

Das comemorações do 45.º aniversário do 25 de Abril sobrou uma polémica que envolve o Bloco de Esquerda e duas das suas figuras mais conhecidas. Descendo alegremente a Avenida da Liberdade, as manas Mortágua, rodeadas por um grupo jeitosito de camaradas bloquistas, entoavam um cântico que deixou muita gente chocada.
Mariana, de megafone em punho, dava o mote para os que caminhavam ao seu lado: «Ó meu rico Santo António, ó meu santo popular, manda lá o Bolsonaro, manda lá o Bolsonaro para o pé do salazar»!
Estou ao lado dos que se indignaram, sim senhor! É um ultraje! Uma infâmia! Um comportamento absolutamente inaceitável e que merece todo o meu repúdio!
Então vamos mandar o Bolsonaro, um fascista, para o pé de outro? Por que carga de água? Então mas isto faz-se? Claro que não! Meninas, o tio Lápis explica: a mandar o Bolsonaro para a "terra dos pés juntos", que seja para perto de alguém que o ponha na linha e não para perto de alguém com quem ele possa jogar à bisca lambida enquanto insultam esquerdalhos, afro-descemdentes e homossexuais.
Se querem que o cântico continue a rimar, façam o favor de trocar o "Tonho das Botas" Salazar pelo Simon Bolivar. Esse sim, fazia do neo-facho uma alminha atinada.

sexta-feira, 26 de abril de 2019

Pornomarcelismo

Marcelo Rebelo de Sousa, figura que pouco estimo e guardo no baço - havia de ser no coração, querem ver... -, continua em modo Anita (ou Martine, segundo a actualização que me foi fornecida pelo Registo Civil das Personagens de Histórias Infantis).
Desta feita, o Presidente da República é protagonista na China, onde se encontra em visita oficial e teve a oportunidade de constatar in loco (no caso de Marcelo, in maluco) a magnificência da Grande Muralha.
Acompanhado por um grupo de jornalistas, Marcelo foi instado a pronunciar-se sobre aquele momento marcante. Não se fazendo rogado, o actual inquilino (mas pouco) do Palácio de Belém fez uma declaração que só encontra par nas celebérrimas palavras de Neil Armstrong na primeira alunagem.
Disse Marcelo, e passo a citar: «Se me pergunta se algum dia me imaginava a vir-me aqui, digo-lhe que não».
É claro que ninguém o imaginava a atingir o clímax nesse lugar, senhor Presidente. Bem sabemos que só vai aos píncaros do prazer ao embrulhar-se com parcerias público-privadas na área da saúde. Não o tomamos por um reles fetichista de colossais construções de pedra.

terça-feira, 26 de março de 2019

Podia ser a outra. Os nomes artísticos até têm parecenças...

É oficial: a relação que une Madonna a Portugal já não está em estado de graça. A prova está no desabafo que a rainha da pop terá alegadamente feito com o seu agente, no qual ficou bem evidenciado o seu agastamento pela nega que recebeu da Câmara Municipal de Sintra a um pedido, no mínimo, sui generis.
E de que pedido se tratou? Pois bem, a estrela da música quis levar um cavalo para o interior de um palacete construído em 1860, propriedade da autarquia liderada por Basílio Horta, para gravar uma cena de um videoclip. A recusa está no receio do soalho de madeira do edifício, que assenta numa caixa de ar, poder ficar danificado com o peso do possante animal. Madonna não gostou da justificação e, vai daí, terá proferido as seguintes afirmações: «Já dei tanto a este país e quando peço um favor simples, de facto para mostrar Portugal ao mundo, a resposta que obtenho é negativa».
Ai, que paciência para aturar esta diva... É nestas alturas que eu lamento que não tenha sido a cicciolina a vir viver para Portugal em vez da Madonna. Tenho a certeza que, caso também quisesse gravar um dos seus vídeos no referido espaço, não haveria qualquer espécie de problema.  A ex-actriz porno italiana não levava o cavalo para o interior do centenário edifício. Levava-o, isso sim, no seu interior (ou, pelo menos, parte dele...) e evitavam-se chatices.

sexta-feira, 8 de março de 2019

O título fala por si

A CM TV vai lançar-se na produção de novelas. O canal por cabo vai estrear "Alguém Perdeu" dentro em breve e ninguém vai poder dizer que não foi avisado com antecedência ao que ia. Com um título destes, já se sabe que alguém, neste caso, o telespectador, perdeu... tempo precioso da sua vida a mamar uma xaropada feita pelo canal televisivo do Correio da Manhã.
Para quem ainda assim decida aventurar-se à bruta nesta incursão pelo mundo da produção de ficção e é telespectador habitual da CM TV, não deverá haver sobressalto de maior. Bem vistas as coisas, à ficção daquele canal já estão habituados. O director da estação, Francisco Penim, chama-lhe... ah, como é que é mesmo?!, hum... Já sei!... noticiários.

sábado, 2 de março de 2019

Quem acredita, mama!

A "Beatriz Gosta" é a prova provada de que o sistema imunitário do ser humano, regra geral, é cada vez mais forte. Tão forte, tão forte, que podemos começar a pensar na imunidade total às doenças virais como algo perfeitamente concretizável.
À quantidade de mamos que a rapariga dá nas reportagens do "5 para a meia-noite", que são para aí um terço dos que tenta dar, é impressionante como é que não tem o fígado todo assadinho pela mononucleose, as beiças rebentadas pelo herpes e ainda não fez nenhum arroz de sarrabulho com algum pulmão que tivesse cuspido inadvertidamente por culpa de ataques de tosse provocados pelas gripes que teriam de assolá-la.
A minha vénia, Marta. Até fico banzado!

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2019

O busílis é que eles adoram protagonismo

A Venezuela continua mergulhada numa grave crise política, com Nicolás Maduro e Juan Guaidó numa disputa pessoal pelo poder no país com as maiores reservas petrolíferas do mundo. O dia decisivo para que se entenda quem comanda realmente os destinos do país sul-americano é o de amanhã, quando Guaidó tentar transpôr a fronteira com a Colômbia para recolher ajuda humanitária e, em seguida, iniciar o percurso de regresso.
Entretanto, o braço-de-ferro prossegue hoje, com dois mega-concertos de apoio a um e a outro lado da contenda. Richard Branson, multimilionário britânico e apoiante de Guaidó, organizou um estrondoso evento musical em cucuta, cidade colombiana junto à fronteira com a Venezuela, com o regime de Maduro a responder com um espectáculo de dimensão idêntica do outro lado da fronteira.
Eu julgo que o diferendo se podia resolver de uma forma bem mais adulta e urbana. Por mim, os dois antagonistas colocavam-se lado a lado, baixavam as calças, punham as miudezas à vista de quem as quisesse ver e, por fim, um avaliador completamente desinteressado do conflito procederia à verificação do tamanho da genitália de um e de outro. O que tivesse o dito cujo maior ganhava e ficava como presidente até que aparecesse outro pretendente com uma ferramenta de não-trabalho ainda maior.
Enjeitada que está esta possibilidade, o duelo prossegue com notas musicais. Não sei que resultado terá, mas tenho a certeza que o vencedor será aquele que conseguir os préstimos da estrela com maior potencial à escala mundial: Conan Osíris.